Microsoft pede a funcionários que migrem do Slack para o Teams. Foto: Pexels.

A Microsoft não permite que seus funcionários usem o Slack, sistema de chat e colaboração entre colaboradores que é rival do Microsoft Teams. 

Apesar da regra parecer um meio de evitar o uso de um concorrente, a empresa cita riscos de segurança como o motivo de sua proibição. As informações são de um documento interno obtido pelo GeekWire.

Em uma lista interna de softwares e serviços online que tem uso impedido ou "desestimulado", a Microsoft afirma aos funcionários que as versões Slack Free, Slack Standard e Slack Plus não fornecem controles necessários para proteger adequadamente a Propriedade Intelectual (IP) da Microsoft. 

"Os usuários existentes dessas soluções devem migrar o histórico de bate-papo e os arquivos relacionados aos negócios da Microsoft para o Microsoft Teams, que oferece os mesmos recursos e aplicativos integrados do Office 365, funcionalidade de chamada e reunião", diz o documento.

A Microsoft também proíbe que os funcionários usem o aplicativo de verificação gramatical Grammarly e o software de segurança Kapersky. Ela ainda desestimula os funcionários a usarem Amazon Web Services, Google Docs, PagerDuty e a versão em nuvem do GitHub, de acordo com o GeekWire.

O Slack, que estreou na bolsa na quinta-feira, nomeou a Microsoft como sua principal concorrente em um documento regulador enviado à Securities and Exchange Commission em abril, enquanto a Microsoft listou o Slack entre seus concorrentes em seu relatório anual mais recente. O Teams foi lançado em 2016, sete anos após a fundação do Slack.