José Calazans, CEO da Cast Group.

Tamanho da fonte: -A+A

A Cast Group, uma das maiores integradoras de TI do país, acaba de abrir uma operação focada no Business One, o sistema de gestão para pequenas e médias empresas da SAP.

A operação teve início em janeiro de 2021 e já conta com projetos em andamento, sob o comando de Fabrício Lubito, diretor de Soluções B1 da Cast Group. 

A meta é fechar entre 20 e 30 projetos para o B1, movimentando cerca de US$ 350 mil ainda esse ano.

A Cast entrou com força no mundo SAP em 2017, ao adquirir a Pelissari, então um dos grandes parceiros da multinacional alemã no país, com 450 funcionários e filiais em Joinville, Caxias do Sul, Bauru, Recife e São Paulo. 

No mesmo ano, a Cast comprou também a Avannt, outra consultoria SAP, baseada em Ribeirão Preto e com 60 funcionários (Lubito era o diretor comercial da Avannt). 

“Oferecendo o SAP Business One como solução para pequenas e médias empresas, nos posicionamos como uma provedora end-to-end e one-stop-shop das soluções SAP para diversas indústrias, segmentos e linhas de negócios, com especialização no agronegócio, manufatura e fiscal”, afirma José Calazans, CEO da Cast Group.

De acordo com Calazans, a decisão de ter uma oferta do ERP para pequenas e médias da SAP se deu pelo fato de que 30% dos potenciais clientes que chegavam na empresa terem necessidades melhor atendidas pelo B1 do que pelas soluções mais “parrudas” da multinacional.

“Agora, nós conseguimos atender empresas que ainda usam planilhas em Excel e ir integrando soluções mais sofisticadas à medida em que elas crescem”, esclarece André Luis Dolfini, da área de Planejamento Estratégico da Cast. 

A Cast tem 2,5 mil funcionários, em filiais em São Paulo, Brasília, Belo Horizonte, Maceió,  Campo Grande, Curitiba, Bauru, Sete Lagoas, Joinville e Caxias do Sul e Porto Alegre, além de uma fábrica de software em Araraquara, no interior de São Paulo.

O B1 está no mercado nacional desde 2005. No ano passado, o Brasil foi líder em receita para o B1 no mundo, um feito ainda mais notável tendo em conta a situação atual do câmbio. 

Ao todo, são 7,5 mil clientes no Brasil, o que é uma cifra respeitável em um universo de 70 mil clientes em todo o mundo.