Tóquio espera aliviar os congestionamentos com o dia do home office. Foto: Pexels.

O dia 24 de julho agora é a data oficial do home office em Tóquio. A iniciativa inaugurada neste ano será mantida até 2020, quando a cidade sediará os Jogos Olímpicos.

Nesta segunda-feira, 24, cerca de 930 companhias fizeram parte do primeiro ano da ação.

O The Register explica que o movimento tem o objetivo de aliviar o congestionamento paralisante da cidade e combater uma cultura profundamente arraigada focada na presença.

Com os 920 mil visitantes esperados na cidade durante os jogos, a ministra olímpica do Japão descreveu os engarrafamentos constantes como um "grande problema" a ser enfrentado no país.

Ela disse que o congestionamento já foi um problema nos jogos do Rio de Janeiro, mesmo com a alocação de vias especiais para os envolvidos nos jogos e as estradas mais amplas que as de Tóquio.

O governo espera que os ensaios do “dia do home office anual” ajudem os funcionários a se prepararem para trabalhar remotamente durante os jogos, liberando a rede de transporte e facilitando o deslocamento de torcedores, atletas e organizadores.

Tóquio tem uma população de cerca de 14 milhões de habitantes e está no centro da maior conurbação do mundo, que abriga cerca de 35 milhões de pessoas - muitas das quais se deslocam para a capital diariamente.

O The Register ainda relata que o trabalho remoto tem se tornado cada vez mais popular em muitos países, especialmente no setor de tecnologia, mas o Japão tem demorado a se encaixar na tendência por ser um país tradicionalmente obcecado com uma cultura de extensos encontros presenciais.

Recentemente, numerosos casos de mortes como resultado de excesso de trabalho tem prejudicado a reputação do país. Além disso, uma pesquisa do governo revelou que 20%  da força de trabalho do Japão apresenta risco de suicídio pelo número de horas trabalhadas. 

Esses fatores reforçam a importância da criação de medidas que aliviem o tempo dedicado ao trabalho - mesmo que no deslocamento.