André Burlamarqui.

A Govbr, especializada em tecnologia para prefeituras, comprou uma participação acionária majoritária na gaúcha Dueto, atuante no mesmo ramo.

A Dueto já atuava desde 2001 oferecendo no mercado o software Pronin, da Govbr, e agora será incorporada dentro da empresa, trocando sua marca e assumindo o mercado de Santa Catarina.

A Govbr já estava presente com 24 unidades em Espírito Santo, Minas Gerais, Santa Catarina, Mato Grosso do Sul, Pernambuco, Paraná, Rio de Janeiro São Paulo. 

As operações mais fortes são as do Rio de Janeiro, onde a empresa foi fundada, e Santa Catarina, São Paulo e Paraná, com diversas unidades cada uma. A Dueto, por sua vez, tem cinco filiais no Rio Grande do Sul. 

Fundada por Mário Sebben, também criador da Datasys, a empresa é uma das mais tradicionais da TI gaúcha. Hoje a companhia é comandada por Rafael Sebben, filho de Guilherme.

Juntas, as Dueto e Govbr fecharam o ano passado com um faturamento de R$ 75 milhões (a maior é Govbr, com R$ 58 milhões desse total) e esperam crescer 20% em 2015, atingindo R$ 90 milhões.

Os planos no longo prazo são mais ambiciosos, com uma meta estabelecida de R$ 500 milhões para 2022.

“Parte do nosso crescimento passa por novas incorporações, parcerias e o nosso novo programa de canais”, revela André Burlamaqui, presidente da Govbr.

O programa de canais está nos primeiros passos, com um acordo fechado com a  RxCo, especializada em prescrição eletrônica de medicamentos. Outros cinco acordos devem ser anunciados nesse ano.

Na área de fusões, o objetivo da companhia é se fortalecer em um mercado ainda bastante fragmentado no país, com vista em fortalecer sua presença junto ao cliente final.

“Prefeituras são um cliente que exige bastante atendimento e há espaço para crescer na área de serviços”, afirma Burlamaqui.

De acordo com o executivo, a proporção de receita de produto frente a serviços na empresa ainda é de 85% x 15%, uma correlação que a Govbr pretende evoluir para uma divisão meio a meio no futuro.