Intel aposta em centros de design. Foto: divulgação.

A Intel anunciou nesta quinta-feira, 25, a criação de um programa para capacitação de centros independentes de design, incluindo o Brasil no mapa de produção de designs de referência de dispositivos de computação pessoal.

O plano faz parte de um programa de investimentos da ordem de R$ 300 milhões para pesquisa e desenvolvimento de tecnologias em áreas de interesse nacional, anunciado no início de 2013.

A parte da Intel no programa consiste na transferência de expertise e capacitação junto às empresas parceiras. A multinacional se encarregará do treinamento dos centros, habilitando-os no desenho de sistemas, validação, debug, além de capacitá-los para o processo de manufatura das plataformas da empresa.

Do lado da execução dos projetos, os parceiros apoiarão todo o processo de desenvolvimento: design de placa/sistema, layout, validação de plataforma/sistema e manufatura.

O plano da Intel é já estabelecer dois centros já no início de 2015, capacitando o o Senai-Cimatec, na Bahia, e o Instituto de Pesquisas Eldorado, que possui unidades no Distrito Federal, São Paulo e Rio Grande do Sul.

Estes centros atuarão na pesquisa de designs de referência e depois colaborarão com fabricantes locais para desenvolver designs exclusivos que atendam às necessidades do mercado local, oferecendo novas opções de dispositivos usando arquitetura Intel.

A expectativa é que o programa ajude a estimular novos formatos de computadores disponíveis para o consumidor brasileiro e minimizar a espera local por novidades de desktops, notebooks e tablets.

De acordo com a fabricante, hoje mais de 95% dos designs de computação pessoal provêm da Ásia. Com a iniciativa, a empresa  a Intel pretende desenvolver centros de design para a criação de sistemas de referência para adoção nacional.

“A experiência da Intel com o apoio à indústria de tecnologia e aos desenvolvedores no Brasil tem resultado em projetos inovadores. Acreditamos que nosso trabalho como catalisadores da indústria pode auxiliar o ecossistema local a evoluir de modo ainda mais rápido”, detalha David González, diretor geral da Intel Brasil.

Para José E. Bertuzzo, gerente executivo da área de desenvolvimento de produtos do Instituto de Pesquisas Eldorado, o apoio de de centros independentes de design é de extrema importância para o desenvolvimento da indústria de tecnologia no país. 

“Um centro independente de design nacional permitirá acelerar a entrada das novas tecnologias no país e o desenvolvimento de produtos mais aderentes às demandas do mercado local”, completa Leone Andrade, diretor regional do Senai Bahia.