Cristiano Silveira.

Cristiano Silveira não é mais gerente de infraestrutura de TI do Agiplan, uma instituição financeira sediada no Rio Grande do Sul.

A informação é de fontes de mercado e foi confirmada pelo Baguete, que averiguou também que ainda não existe um sucessor definido.

Procurada, a Agiplan não comentou o assunto até o fechamento desta matéria.

Silveira estava na Agiplan desde agosto de 2014, quando foi contratado vindo do Terra Networks, onde era gestor de tecnologia.

O executivo também tem passagens pela GetNet, Stefanini e Constat, em cargos em nível de coordenação.

Silveira está saindo em meio ao que parece ser uma reformulação da TI da Agiplan. 

Em julho, o Baguete revelou que o comando da TI havia sido assumido por Fernando Castro, ex-líder de transformação digital do Sicredi, outra instituição financeira gaúcha.

Castro fez carreira no Sicredi, onde entrou em 2000 como desenvolvedor de aplicações e subiu na hierarquia passando por uma série de cargos, incluindo gerente de governança de TI, PMO e diretor de arquitetura empresarial.

Do time antigo permanece na empresa Rodolfo Marun, gerente responsável pela área de sistemas. Ele foi contratado em janeiro de 2015, vindo da Bovespa.

O novo time tem um cenário desafiador em mãos, com uma instituição em crescimento e novos produtos.

A empresa incorporou no começo de 2016 o Banco Gerador, com forte atuação de varejo e atacado no Nordeste do Brasil e 200 mil clientes.

Com a aquisição, a Agiplan, até então concentrada no mercado de empréstimos pessoais, se tornou um banco e deu um passo mais ousado no final do ano passado com o lançamento do Agipag.

Baseado na tecnologia de conta corrente do Gerador e tendo a Stefanini com uma participação minoritária, o Agipag é um sistema de micropagamentos móveis que ainda está dando os primeiros passos no mercado.

O antecessor de Castro, Eduardo Amorin, também acumulava o cargo de CEO do Agipag, um sistema de micropagamentos e conta digital no celular lançado no final do ano passado pelo banco gaúcho.

A reportagem do Baguete não conseguiu averiguar se Castro também terá as duas funções.