Serão 500 bicicletas elétricas até o final de outubro. Foto: Gabi Gorrea.

A Tembici, startup que opera o sistema de aluguel de bicicletas do Itaú, anunciou a chegada de bikes elétricas ao seu sistema compartilhado no próximo sábado, 26, começando pelo Rio de Janeiro.

O investimento utiliza parte dos US$ 47 milhões (mais ou menos R$ 250 milhões) que a empresa levantou no início de junho, em rodada série B liderada pela Valor Capital e pela Redpoint eventures.

Até o fim de outubro, o projeto piloto, que é o primeiro do gênero na América Latina, deve implementar gradualmente 500 bicicletas elétricas. Neste período, a empresa vai monitorar o perfil de uso e a performance dos equipamentos.

No início do projeto, as chamadas e-bikes poderão ser utilizadas sem nenhum custo extra para alguns usuários que já assinam os planos do Bike Rio.

Depois, com a liberação gradual de uso a partir do dia cinco de outubro, os usuários habilitados poderão optar pela bicicleta elétrica com valor a partir de R$ 3.

O novo equipamento possui pedal assistido, ou seja, seu motor é acionado ao pedalar, sem acelerador, e a velocidade máxima é de 25 km/h.

Segundo a empresa a nova modalidade é muito desejada e aguardada pelos usuários, pois expande a possibilidade de uso diário, uma vez que facilita deslocamentos mais longos e com diferentes relevos, exigindo menos esforço de quem pedala. 

Além disso, a expectativa é que a bicicleta elétrica possa substituir outros modais, considerando que grande parte dos trajetos que as pessoas fazem no dia a dia não passa de 5 km de distância.

A empresa projeta que as e-bikes façam três vezes mais viagens do que as bicicletas tradicionais. 

“A implementação de bicicletas elétricas traz um enorme ganho para o cenário de micromobilidade na América Latina e contribui para o reconhecimento da bicicleta como o modal mais eficiente para deslocamento nas cidades”, afirma Tomás Martins, CEO da Tembici.

Fundada em 2010, a Tembici opera uma frota de 16 mil bicicletas com mais de 30 milhões de deslocamentos nas principais capitais brasileiras, como Rio de Janeiro, São Paulo, Salvador, Recife e Porto Alegre, além de Buenos Aires e Santiago.