Equipe desenvolvedora do Power Up. Foto: Divulgação.

O reality show de desenvolvedores da Google, Developer Bus Brasil, conheceu seu vencedor no sábado, 23. O projeto ganhador é o aplicativo Power Up, uma plataforma de gestão para fidelização de clientes em academias.

Com o objetivo de reduzir o número de clientes que pagam por um programa de treino e desistem no meio do caminho, o aplicativo atingiu o propósito do evento de criar uma inovação tecnológica de código aberto para auxiliar as pequenas e médias empresas. 

A ideia foi desenvolvida por André Lucas, Fábio Uechi, Dani Guerrato e Bruno Cicanci e eles, como prêmio, visitarão por cinco dias a sede da Google em Montain View, na Califórnia, juntamente com as equipes campeãs de Buenos Aires, Cidade do México e Bogotá. 

"O apoio que conquistamos nas redes sociais em apenas três dias de disputa mostra que acertamos a demanda de mercado que nosso aplicativo busca atender", explica André Lucas, gerente do projeto e também professor de academia.

Outros dois projetos receberam destaque nessa edição: o Expense.me para registro de despesas com viagens direto no sistema de gestão de gastos da empresa, criado por Camilla Albuquerque, Fernando Josafá, Paulo Vinícius e Felipe Lima, e o Vila do Corretor, desenvolvido por Mariana Camargo, Liniquer Fractucello, Guilherme Cunha e Thiago Cavaloti, que consolida a carteira de clientes e de imóveis em um único espaço para auxiliar o corretor imobiliário diariamente.

A edição brasileira foi a que teve mais inscritos, 2.222, maior número de participantes, 44, e de equipes, 11. Além disso, o evento teve recorde de audiência, com um pico de 250 pessoas assistindo ao vivo.

Durante os três dias de evento, os participantes receberam dicas de especialistas sobre como focar as criações nas necessidades reais das empresas, o uso de ferramentas como Google Form e Google+ para pesquisas de mercado, como o Analytics pode auxiliar a startup e como apresentar a ideia.

Além disso, Paulo Alvim, do Sebrae, passou informações sobre o mercado das micro e pequenas empresas. No Brasil, são 8,4 milhões de instituições com esse perfil e cerca de 4,2 milhões faturam entre R$ 60 mil e R$ 360 mil ao ano.

Essas empresas respondem por 25% do PIB nacional, 705 dos empregos formais e 30% das compras públicas.

Os projetos foram avaliados por Alvim, Felipe Matos do StartUp Brasil, Cristiano Nóbrega da TailTarget, Bárbara Alvim Raimundo da Trindade Investimentos, Alan Leite da Startup Farm, Amir Shevat do Google Israel e Neto Marin do Google Brasil.