O eBay, gigante norte-americano do e-commerce, está avaliando a abertura de sua plataforma de vendas para varejistas brasileiros, em busca do aumento de sua participação no varejo eletrônico nacional.

Quem afirma isso é a chefe da companhia na América Latina, Sylvie De Wever. "É algo que consideramos para algum momento no Brasil", destacou a executiva. A informação é da Reuters.

Para a companhia, a manobra é algo natural, visto que o comércio eletrônico brasileiro está em alta. A empresa está de olhos nos consumidores que estão usando seus cartões de crédito internacionais em vendedores localizados na China e Estados Unidos, atraídos por produtos mais baratos que os do mercado doméstico.

No ano passado, o eBay já iniciou suas atividades de venda no país. Entretanto, foi uma aposta tímida, com o lançamento de um aplicativo de moda. Por enquanto, o negócio do eBay no Brasil em número de usuários ativos segue menor que o do PayPal, empresa de pagamentos online controlada pela companhia.

Segundo De Wever, o eBay conta com cerca de 1 milhão de usuários ativos no país, contra cerca de 3 milhões do PayPal.

Caso entre de fato com a sua plataforma no varejo nacional, o eBay entrará em rota de colisão com o poderoso MercadoLivre, líder nacional do e-commerce no formato marketplace (no qual terceiros anunciam seus produtos).

Além disso, outros players devem se aproximar do mercado nacional, que segundo o e-Bit deve bater a marca dos R$ 32 bilhões em 2014. O chinês Aliexpress, do Alibaba, vem ganhando terreno no país, onde passou a operar com site em português.

Outro player fortíssimo que em breve deve desembarcar em sua plenitude no país é a Amazon, que nos Estados Unidos ja é uma potência no marketplace digital, mas por enquanto está apenas na venda de livros físicos e digitais no Brasil.

"Esse não é um jogo de um competidor só. Estamos prontos para lutar", disse De Wever, comentando o crescimento da disputa que se desenha no futuro.