Executivos da Stratasys na bolsa.

A Stratasys fechou um acordo com a Siemens PLM para aumentar a integração das suas impressoras 3D com os softwares de design e ciclo de vida do produto da multinacional alemã. 

O projeto envolve a integração do software Siemens NX com o CAD/CAM/CAE da plataforma de impressão Stratasys GrabCAD e o recentemente lançado Stratasys Robotic Composite 3D Demonstrator, que incorpora o software de gestão de ciclo de vida de produto (PLM) da Siemens e suas tecnologias de controle de movimento e automação (CNC).

Em nota, as empresas destacaram que o acordo “lança as bases” para a “visão comum de incorporar a manufatura digital aditiva ao fluxo de trabalho tradicional das indústrias”.

O Gartner previu no ano passado que a venda de impressoras 3D cresceria num ritmo de 100% anual a partir de 2016 até 2019, chegando no final do período com vendas de 5,6 milhões de unidades.

O problema é que as projeções estão demorando a virar realidade, o que a Siemens PLM atribui em nota à dificuldade de emplacar impressão 3D em ambientes de produção em grandes volumes, tornando a tecnologia tão comum como CNC.

A situação se reflete nos resultados da Stratasys, que consolidou o mercado comprando a Objet e lidera o segmento, mas amargou uma queda de receita de 7,2% no ano fiscal 2015, totalizando US$ 696 milhões, enquanto o prejuízo se multiplicava 10 vezes, para US$ 1,4 bilhão.