Marchezan lançou um olhar 43 para a SAP hoje. Foto: divulgação.

O novo prefeito de Porto Alegre, Nelson Marchezan (PSDB), citou a possibilidade de colaborar com a SAP em projetos de tecnologia na capital gaúcha.

A menção foi feita durante uma palestra no almoço do grupo de empresários Lide em Porto Alegre nesta quinta-feira, 26.

Marchezan falou do assunto de passagem, mas mencionou já ter sido procurado por representantes da multinacional alemã.

É chamativo o fato de estar presente na palestra o VP para assuntos de relações com o governo da SAP para América Latina, Afonso Lamounier.

Lamounier está na SAP desde 2014, vindo da Microsoft, uma empresa que mantém uma presença muito superior no meio público, no qual o executivo teve cargos de diretorias relacionadas à vendas para governo.

Teria Lamounier se reunido antes com Marchezan? É provável especular que sim, mas impossível provar no momento. 

Marchezan está em meio a uma agitada transição e problemas financeiros e não criou o hábito de publicar seus compromissos na agenda do prefeito.

A SAP não tem presença expressiva no mercado de prefeituras no país (só um projeto vitrine na área de saúde em Americana, no interior de São Paulo) mas isso não seria impeditivo para um eventual projeto na prefeitura de Porto Alegre.

A multinacional alemã tem apostado nos últimos anos em tecnologia de análise de dados em tempo real. Porto Alegre, por outro lado, tem um trabalho adiantado em abertura de bases de dados públicos.

Marchezan parece inclinado a aprofundar isso. Nesta semana, por exemplo, Porto Alegre assumiu gestão dos dados bilhetagem eletrônica do transporte coletivo da cidade, um prato cheio para software analítico.

Além disso, durante a campanha o novo prefeito falou repetidas vezes sobre a necessidade de rever a atuação da Procempa, estatal municipal de processamento de dados, destacando que a companhia era cara demais e não agregava o suficiente.

A SAP tem a seu favor o fato de ter um centro de desenvolvimento e suporte em São Leopoldo, na região metropolitana de Porto Alegre, empregando quase mil colaboradores. 

Parte das atividades do centro é justamente a localização para as necessidades brasileiras dos softwares, principalmente na área tributária. Adaptações para administração pública brasileira entrariam facilmente nesse escopo.

O Grupo de Líderes Empresariais, ou Lide, é uma criação do empresário, apresentador de TV e atual prefeito de São Paulo João Dória. 

Parte da proposta é justamente fomentar a interação entre empresários e políticos.

Os eventos do grupo são fechados a filiados, que pagam uma taxa anual de R$ 9 mil para participar.

No almoço de Porto Alegre estavam presentes o presidente da FIERGS, Heitor José Müller, a presidente da Federasul, Simone Leite, e o ex-vice-governador Paulo Feijó.