Walmir Scaravelli.

A Mega, empresa de sistemas de gestão sediada em Itu, no interior de São Paulo, faturou R$ 68,5 milhões em 2014, uma alta de 6% em relação ao ano anterior.

O resultado ficou abaixo da meta de crescimento de 10% estabelecida em setembro do ano passado (alvo ele mesmo uma revisão para baixo dos 15% estabelecidos meses antes).

A empresa apostou em diversificação. As áreas de manufatura e construção, nas quais a Mega tem a sua base de clientes, ficaram estáveis, enquanto as vendas para o setor de serviços cresceram 32%. A divisão de consultoria de processos teve alta de 25%, com meta de 50% para 2015.

“Vale ressaltar que os investimentos efetuados em 2014 foram executados integralmente com recursos próprios”, destaca o sócio-fundador e diretor de Marketing e Alianças da Mega Sistemas Corporativos, Walmir Scaravelli.

Para 2015, a Mega terá acesso a R$ 6,3 milhões obtidos junto ao BNDES pelo programa Prosoft. O dinheiro irá para pesquisa e desenvolvimento, evolução tecnológica, comercial e marketing, além da migração das soluções da empresa para uma plataforma web.

Outro objetivo da Mega é incrementar sua presença nacional. Hoje a empresa a sede de Itu e filiais do Rio de Janeiro e Curitiba. A ideia é buscar canais n Nordeste, Norte e Sul.

Dados de uma pesquisa anual da FGV sobre o mercado de sistemas de gestão no país mostram que no segmento de empresas menores, com até 170 teclados, a Totvs lidera com 52% frente a 9% de SAP e Oracle e um número importante de outros, com 30%.

Um pouco acima, na faixa entre 170 e 700 teclados, a participação dos “outros”, majoritariamente empresas brasileiras como a Mega, já fica em 18%, frente a 41% da Totvs, 24% da SAP e 17% da Oracle.