Hiparcio Stoffel.

Não foi para frente a nomeação para presidência da Procergs de Hiparcio Stoffel, fundador e sócio da consultoria Indextech, e não está claro no momento quem vai assumir o comando da estatal gaúcha de processamento de dados.

Segundo fontes da empresa ouvidas pelo Baguete, a participação de Stoffel em algumas empresas privadas é visto por algumas pessoas dentro do governo como um potencial conflito de interesse que impediria sua nomeação, pelas regras da Lei de Estatais de 2016.

A lei prevê que não é possível nomear para o comando de estatais “pessoa que tenha firmado contrato ou parceria, como fornecedor ou comprador, demandante ou ofertante, de bens ou serviços de qualquer natureza” nos três anos anteriores.

É a primeira vez que a nova lei é aplicada para valer numa transição de governo. Não está claro qual seria o caso específico de Stoffel.

A IndexTech, comandada pelo empresário, é consultoria sediada em Porto Alegre que criou a metodologia de avaliação do Projeto Prefeito Inovador, iniciativa da Microsoft, Intel, Symnetics e Movimento Brasil Competitivo que contempla cidades brasileiras pelo destaque no uso da TI na gestão municipal, em 2010.

Mais recentemente, Stoffel liderou outra iniciativa voltada a cidades, o WeCity | cc, que se propunha a criar indicadores para avaliação de "cidades criativas".

No final de janeiro a reportagem do Baguete divulgou que Stoffel estava nos estágios finais do processo de aprovação do seu nome para assumir a presidência da Procergs.

Fontes ouvidas pelo site na época revelaram que o possível novo presidente já tinha realizado duas reuniões de transição com atual diretoria. Agora, parece haver um impasse, talvez na expectativa por algum tipo de descompactibilização que permitiria a tramitação oficial do nome.

Situações com a de Stoffel estão se tornando comuns, a medida que governos tentam trazer profissionais com um background de iniciativa privada para dentro da administração pública. 

A Procergs não figurou em primeiro plano nas discussões durante a campanha eleitoral no Rio Grande do Sul, na qual saiu vencedor Eduardo Leite, ex-prefeito de Pelotas e um nome emergente dentro do PSDB gaúcho.

Em uma entrevista por e-mail para o Sindppd-RS, sindicato que tem entre seus representados os funcionários da Procergs, Leite, ou alguém respondendo por Leite, deu algumas pistas sobre os planos do futuro governo para a estatal.

Leite foi taxativo ao negar a possibilidade de privatização da Procergs, mas apontou que a estatal deve usar terceirizações para tarefas com pouca necessidade de "inteligência", como desenvolvimento de sistemas e treinamentos.

A Procergs trabalha com terceirização de desenvolvimento de software por meio de grandes contratos desde 2009.

Empresas como Stefanini e DBServer já foram fornecedoras. Mesmo assim, o número de funcionários tem crescido. Ele era de 1,069 em dezembro de 2018, frente a uma média de 800 entre 2001 e 2014.