G Flex é a aposta da LG.

Segundo lugar no mercado de smartphones no Brasil, a LG está obstinada a incomodar a líder Samsung em 2014. 

A estratégia é ocupar de vez o segmento premium, rivalizando com aparelhos mais desejados como o Galaxy S5 e o iPhone 5S, da Apple.

De acordo com o Gartner, em 2013, a empresa registrou um crescimento de 60% no mercado nacional de smartphones, chegando a um share de 13%, ultrapassando com isso Nokia e ajudando a consolidar a base Android no país. A Samsung lidera com espaçosos 47%.

O crescimento da LG superou o índice registrado pelo IDC para o mercado de smartphones em geral no país, que foi de 27%.

No entanto, conforme destacou a companhia, este crescimento ainda foi baseado em boa parte nos aparelhos de entrada e nas faixas intermediárias de preço. 

A empresa não divulga a fatia que o setor de telefones ocupa no faturamento total da empresa, que foi de R$ 7,3 bilhões no ano passado.

No entanto, para Barbara Toscano, diretora de marketing para a área de celulares da LG, o passo agora é investir em aparelhos de maior valor agregado, apresentados pela empresa no Digital Experience 2014, evento que reúne as novidades a companhia asiática.

"2013 foi um grande ano em termos de vendas, e especialistas afirmam que 2014 não terá o mesmo crescimento. Por isso estamos apostando no crescimento da busca por aparelhos mais avançados e na migração de clientes para faixas de preço mais elevadas", diz a executiva.

Para chamar a atenção do público, a empresa apresentou novidades como os novos smartphones Android da linha G, como o G2 e o G Flex, modelo com tela e bateria curvada. 

O primeiro custa R$ 2.699, enquanto o segundo sai por R$ 1.999.

Aparelhos que chamaram a atenção em feiras como a Consumer Electronics Show (CES), em Los Angeles, no início do ano, os dois modelos agora são a aposta da fabricante para atrair os consumidores high end.

Toscano reconhece que a briga é difícil nas faixas mais elevadas, devido ao nome já estabelecido pela Apple e Samsung. No entanto, para a diretora, o objetivo é mostrar ao consumidor final o que muitos especialistas já comentaram.

"Recebemos diversos prêmios na CES, reconhecendo a qualidade de nossa nova linha de telefones. Agora temos que levar essa informação além dos leitores assíduos de tecnologia, mostrando a qualidade dos produtos", frisa a executiva.

O plano da LG é chegar ao final de 2014 com os telefones premium ocupando uma fatia de 30% no faturamento da empresa com telefones.

"Neste ano estamos investindo em uma renovação de portfólio. Nossa entrada mais agressiva no segmento de alto valor é recente, começando no ano passado. Queremos que este ano seja o de consolidação, trazendo mais competitividade", analisa Toscano.

Segundo Jan Petter, diretor de vendas de celulares, a estratégia adotada pela LG foi chamada de "bottom up". A empresa começou com uma linha no segmento de entrada e de telefones intermediários, com a linha L e LII, obtendo bons resultados em 2013.

Perguntado sobre a difícil concorrência nos produtos mais caros, Petter foi categórico.

“Acreditamos que o consumidor tem o direito à escolher o produto que melhor atende as suas necessidades. Por isso estamos investindo pesado para mostrar que temos um portfólio capaz de suprir esta demanda, e que não fica atrás da concorrência”, dispara.

* Leandro Souza viajou a São Paulo para o  Digital Experience 2014.