C6 deu uma tacada importante ao se aliar à TIM. Foto: C6.

A TIM Brasil e o C6 Bank fecharam um acordo pelo qual vão fazer ofertas combinadas de serviços bancários digitais e de telecomunicações aos clientes.

O acordo não envolve a formação de uma joint venture e as empresas seguem independentes.

Mas isso pode mudar. Em comunicado ao mercado, a TIM informou que dependendo da evolução dos resultados, poderá se tornar acionista minoritária do C6 em um mecanismo de remuneração baseado em objetivos.

O acordo prevê a possibilidade de explorar sinergias de canais de venda e de pagamento para distribuir ofertas e reduzir custos. As empresas pretendem aumentar suas bases de usuários e aumentar a fidelidade deles.

De acordo com as empresas, é a primeira vez que serviços bancários digitais e de telecomunicações são unidos em uma só proposição.

Desde o ano passado, Pietro Labriola, presidente da TIM Brasil, tem falado que os serviços financeiros estão entre as prioridades para elevar a receita da operadora.

A intenção é transformar o pré-pago em um cartão de débito, aproveitando as cerca de 400 milhões de recargas feitas mensalmente pelos clientes da operadora.

A TIM já faz empréstimo de crédito pré-pago de R$ 5 e R$ 10 aos clientes cujos créditos para uso dos serviços de voz e dados tenham acabado. Ao fazer uma nova recarga, a operadora cobra o valor adiantado mais uma taxa.

Já o C6 Bank atingiu a marca de 1,5 milhão de contas abertas em fevereiro de 2020, oito meses depois do seu lançamento.  

Fundado por ex-sócios do BTG Pactual, o C6 oferece o básico das fintechs, como conta corrente sem taxa de manutenção, mas também uma série de outros serviços agregados como tag de pedágio gratuita (C6 Taggy), conta internacional em dólar, transferência por SMS (C6 Kick), CDBs, fundos e crédito pessoal.

"O negócio representa a junção de dois segmentos, o de serviços financeiros e de telecomunicações, com grande sinergia. A partir da evolução do comportamento dos usuários, será possível ampliar a oferta de serviços customizados", diz Tiago Galli, Chefe da Área de parcerias de Telecom no C6 Bank.