A Cabify, da Espanha, abriu um portal para cadastro de motoristas em São Paulo. Foto: Divulgação.

A partir de um aporte de US$ 120 milhões liderado pela japonesa Rakuten, a Cabify vai iniciar sua operação no Brasil em maio. A companhia é focada em transporte de passageiros e atua de forma similar ao Uber.

No momento, a empresa conta com um portal ativo para cadastro de motoristas interessados em integrar o app em São Paulo. A empresa trabalha com veículos modelo SUV, SW e Sedan lançados a partir de 2010, com ar-condicionado.

“Procuramos motoristas que dirigem seus carros próprios, motoristas que não possuem carros e donos de carros que precisam de motoristas para seus carros. Receberemos inicialmente inscrições de diversos tipos de profissionais, inclusive de donos dos novos alvarás de táxi-preto em São Paulo”, informa a empresa.

A categoria de táxi-preto citada pela empresa é uma criação do prefeito Fernando Haddad (PT) anunciada em outubro do ano passado como uma tentativa de regulação do Uber. Os alvarás da categoria são relacionados à operaçao por meio de aplicativos.

Mesmo com atuação similar a do Uber, a Cabify promete se diferenciar no preço. O valor de cada corrida pelo app é calculado apenas com base na distância que será percorrida, ignorando o tempo passado no trânsito. Por isso, o preço exato é informado ao cliente pelo aplicativo do Cabify antes da corrida. 

Por acrescentar uma taxa de acordo com o tempo da corrida, além da distância, o Uber apresenta antes do início do trajeto uma estimativa para o preço final. Os táxis também tem valor baseado em distância e tempo,  além da tarifa-base. 

Assim como o Uber, que opera com duas modalidades de serviço (X e Black), o Cabify conta com as versões Light e Executivo. 

Desde o seu último investimento, em julho de 2015, a espanhola Cabify está expandindo rapidamente sua operação e hoje tem presença em 14 cidades localizadas nos países Espanha, México, Peru, Chile e Colômbia.