A assistente de IA do Bradesco responderá a dúvidas no Whatsapp. Foto: Divulgação.

O Bradesco vai levar sua assistente BIA, que conta com recursos de inteligência artificial do Watson, para o WhatsApp. O app é o novo canal de relacionamento do banco com os clientes. 

O Bradesco utilizará a solução corporativa desenvolvida pelo WhatsApp, lançada no final do ano passado, que permite aos usuários interagirem com empresas no Brasil. O Itaú foi o primeiro grande cliente no país da ferramenta.

Com a nova solução, o cliente do Bradesco poderá usar o aplicativo de mensagens para conversar diretamente com seu gerente no decorrer dos próximos meses. Para isso, o gerente da conta irá convidá-lo a cadastrar o número do telefone do banco nos contatos do celular.

“É fato que o WhatsApp faz parte do dia a dia de muita gente e é a maior plataforma de mensageria do mundo, com uma penetração altíssima no Brasil. Sabemos que quem escolhe o canal de relacionamento com o Banco é o próprio cliente e acreditamos que grande parte deles, após receber o convite do gerente, vai optar por se relacionar também através do aplicativo”, afirma Luca Cavalcanti, Diretor Executivo do Bradesco.

O Bradesco já está em fase de testes com a ferramenta. O banco tem um projeto-piloto com um grupo de clientes e trabalha para ampliar o serviço ao longo do primeiro semestre. 

No primeiro momento, não será permitido a realização de transações financeiras. 

O atendimento por meio do WhatsApp também é oferecido para os clientes das agências digitais e para todos os clientes do Next, banco digital do Bradesco.

A assistente de IA do Bradesco conta com tecnologias do Watson, plataforma de inteligência cognitiva da IBM, e fará parte da jornada em algumas interações no Whatsapp. O sistema será responsável por compreender e responder instantaneamente as perguntas dos clientes.

Desde o início de sua utilização pelo Bradesco, a BIA já respondeu a mais de 16 milhões de interações, com 85% de feedback positivo.

O Bradesco foi o primeiro cliente no Brasil do Watson. A organização brasileira fez parte de um grupo de cerca de 10 pioneiros em todo mundo, a maioria bancos, incluindo também o mexicano Banorte, a financeira sul africana MMI, a espanhola Caixa, a multinacional francesa de farmacêutica Sanofi, entre outros.