ABB é um gigante mundial.

A Infosys entregou no final do ano passado um projeto de divisão da plataforma de gestão fiscal TDF da SAP dentro da operação brasileira da gigante da área de energia ABB.

Executado em sete meses, o projeto era parte da separação da empresa da divisão de transformadores para a Hitachi, um negócio bilionário fechado ainda em 2018.

Com a venda, a ABB passou a focar em sistemas digitais de controle e automação, painéis de distribuição e robótica industrial.

"Iniciamos um processo de separação da estrutura que tínhamos para segregar a divisão que foi vendida. Obviamente, essa separação precisava contemplar os sistemas, incluindo o TDF", explica Enock Alves, gerente de Projetos da ABB.

No processo todo foram envolvidas cerca de 50 pessoas, entre profissionais da Infosys e da empresa contratante, sendo 12 de maneira integral e o restante nas fases de testes e validações.

O Tax Declaration Framework, conhecido pela sigla TDF, foi lançado exclusivamente para o mercado brasileiro em 2014.

O produto, desenvolvido no SAP Labs, centro de desenvolvimento da multinacional em São Leopoldo, na região metropolitana de Porto Alegre, usa o solução de processamento de dados em memória Hana para fazer análises de documentação tributária.

Essa abordagem atende a necessidade dos maiores clientes da empresa de eliminar gargalos no processamento das suas obrigações tributárias.

A ABB, uma gigante de operação complexa, é um cliente típico.

 "Temos uma lista de cerca de 30 reports vitais relacionados a obrigações tributárias federais, estaduais e municipais, com periodicidade que variam entre mensais, semestrais, quadrimestrais e anuais", detalha Alves.

A Infosys fez ainda a implementação de um produto fiscal próprio, o IFE, focado em reports estaduais e municipais.