Funcionários da Dell em reunião. Foto: Flickr/Dell.

A Dell congelou uma série de benefícios que oferecia aos funcionários nos Estados Unidos, como uma medida de corte de custos em meio aos problemas econômicos causados pela pandemia do coronavírus.

De acordo com a Bloomberg, a empresa comunicou que deixaria de contribuir com os fundos 401(k) dos seus funcionários até o final do ano fiscal, previsto para janeiro de 2021.

Um fundo 401(k) é uma espécie de FGTS americano, recolhendo uma porcentagem do salário do funcionário ao qual o empregador pode optar por complementar na medida em que quiser, de acordo com a lei americana.

“É difícil prever a forma que a desaceleração e a queda vão ter. Nosso trabalho é administrar nosso negócio com prudência, de maneira que estejamos numa posição forte do outro lado dessa situação”, disse Jeff Clarke, COO da Dell, em um comunicado enviado a funcionários ao qual a Bloomberg teve acesso.

Além dos 401(k), a Dell teria congelado contratações externas, promoções internas e aumentos pelo resto do ano fiscal, disse a Bloomberg, citando fontes internas. 

Outra vítima da austeridade foram os “inspire points”, um programa no qual recomendações da chefia se viravam pontos convertíveis em prêmios. 

A Dell tem 165 mil funcionários e não fez cortes significativos até agora, ao contrário de concorrentes como IBM e HPE, que anunciaram demissões na última semana.