CRISE

Latam pede recuperação judicial

26/05/2020 11:10

Companhia aérea fez a solicitação nos Estados Unidos, onde está a maioria de suas dívidas.

Argentina, Brasil e Paraguai não estão incluídos no processo de reorganização. Foto: divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

O Grupo Latam Airlines, maior companhia aérea da América Latina, pediu recuperação judicial nos Estados Unidos, onde está a maioria de suas dívidas, por conta da crise provocada pelo novo coronavírus.

Segundo o comunicado oficial da empresa, as afiliadas no Chile, Peru, Colômbia, Equador e Estados Unidos solicitaram proteção voluntária pelo chamado Capítulo 11, que faz parte da lei de proteção à falência americana. 

Já Argentina, Brasil e Paraguai não estão incluídos no processo de reorganização.

“É importante ressaltar que esse processo é muito diferente do conceito de quebra, falência ou liquidação”, esclarece a empresa em comunicado. 

A companhia pretende contar com um alívio específico que permitirá ao grupo pagar funcionários, cumprir obrigações em relação a benefícios, pagar fornecedores críticos e realizar outras operações comerciais diárias à medida que trabalha com o tribunal e os credores para resolver seu caso.

Durante o processo, a equipe de gestão do grupo permanecerá a mesma.

"A Latam entrou na pandemia de covid-19 como um grupo de companhias aéreas saudável e lucrativo, mas circunstâncias excepcionais resultaram em um colapso na demanda global que não apenas levou a aviação a praticamente uma paralisação, mas também mudou o setor para o futuro próximo", afirma Roberto Alvo, CEO da Latam.

O grupo garantiu o suporte financeiro de seus acionistas, incluindo os maiores: as famílias Cueto e Amaro e a Qatar Airways, para a obtenção de até US$ 900 milhões em um financiamento debtor-in-possession (DIP), quando o devedor permanece na posse de bens sobre os quais um credor tem uma garantia ou interesse de segurança semelhante.

Na extensão permitida por lei, o grupo aceitaria outros acionistas interessados ​​em participar desse processo para fornecer financiamento adicional.

No momento do pedido, o grupo tinha aproximadamente US$ 1,3 bilhões em dinheiro disponível. 

Segundo a Latam, ela e suas afiliadas estão em discussões com os governos no Chile, Brasil, Colômbia e Peru para apoio na obtenção de financiamento adicional, na proteção de empregos sempre que possível e na minimização de disrupções nas operações.

Os voos de passageiros e de carga devem continuar acontecendo “conforme as condições permitirem” e a empresa promete respeitar todas as passagens atuais e futuras, vouchers de viagem, pontos e benefícios do programa Latam Pass, bem como políticas de flexibilidade.

Os funcionários do grupo continuarão sendo pagos e receberão os benefícios previstos em seus contratos de trabalho, assim como os fornecedores deverão serão pagos em tempo hábil ao longo do processo.

As agências de viagens e outros parceiros comerciais também não sofrerão interrupções em suas interações com o grupo Latam.

De acordo com o Uol  o anúncio veio depois da demissão de 1,4 mil funcionários da companhia no Chile, Colômbia, Equador e Peru, além do programa de aposentadoria voluntária para 800 pessoas em todas as filiais.

A companhia anunciou na última semana que retomaria em junho as operações de forma gradual. 

O plano divulgado era de aumentar de 5% para 9% a capacidade operacional e com tarifas reduzidas, voando do Brasil para Frankfurt, Londres, Madri e Miami.

No Chile, a empresa vai retomar os voos para São Paulo e Miami. Em julho, os destinos internacionais devem aumentar para 13.

Veja também

NOVO NORMAL
Gestão de ativos é chave em tempos de mudança

Portfólio de software precisa mudar rápido em tempos de crítica. SoftwareONE ajuda a organizar a casa.

CANAIS
FH é parceira platinum da SAP

Companhia brasileira entra no nível máximo da estrutura de canal da SAP no país.

SAÚDE
MTM desenvolve aplicativo para doação de sangue

Agendamento pelo app Sangue Verde Amarelo ajuda a evitar aglomerações em estádios de futebol.

BOA NOVA
Investidores anjo otimistas, mesmo com pandemia

50% dizem que crise não afetou a predisposição de investimento. Para 10%, até subiu.

FINTECH
PicPay entra no mercado de crédito pessoal

Plataforma vai oferecer empréstimos para pessoa física, além de cartões de débito e crédito.

NEGÓCIOS
Governo libera linha de crédito de até R$ 1,4 milhões

Para a Assespro, lei voltada a micro e pequenas empresas pode não socorrer o setor de TI.

VAREJO
Marisa aposta em vendas diretas on-line

Empresa vai oferecer comissão de 5% para quem vender os produtos através de links do e-commerce.

SAÚDE
Psicologia Viva recebe aporte de R$ 6 milhões

Startups voltadas à terapia on-line estão em alta com a quarentena.

APORTE
Plataforma de terapia online levanta R$ 16,5 milhões

Expectativa é que a crise do coronavírus amplie muito a necessidade por serviçõs de saúde mental.

FUTURO
Coronavírus mostra o poder da manufatura aditiva

Ao redor do mundo, impressoras 3D estão sendo usadas para produzir equipamentos médicos.