Foto: flickr.com/photos/scobleizer

A Microsoft fechou, em US$ 1,2 bilhão, a compra da Yammer – empresa conhecida por desenvolver redes sociais dentro de empresas, dando aos funcionários a possibilidade de compartilhar arquivos e utilizar outras ferramentas de interação.

O negócio era comentado desde o dia 18 de junho, mas só agora foi confirmado.

Com a compra, acertada em dinheiro, a Microsoft poderá oferecer a clientes corporativos ferramentas incrementadas com recursos já presentes em sites como o Facebook.

Segundo o analista da Forrester Research, Rob Koplowitz, o software da Yammer está baseado na nuvem, portanto “faria sentido pensá-lo como um componente do Office 365 da Microsoft”, por exemplo.

Fundada em 2008, a Yammer tem cerca de 5 milhões de usuários, incluindo na lista 85% das empresas da lista das 500 maiores da Fortune.

Do total, cerca de 20% deles pagam pelos serviços ofertados.

Na Microsoft, o Yammer se tornará parte da unidade Office sob a chefia de Kurt DelBene, mas ainda será liderada pelo atual presidente-executivo, David Sacks, atual CEO da empresa focada em mídias sociais.

Com sede em São Francisco, a empresa adquirida levantou cerca de US$ 142 milhões desde a sua criação e disse que planeja continuar oferecendo o seu serviço com total autonomia, enquanto a Microsoft vai incentivar o uso da rede junto com seus produtos, incluindo Office e SharePoint.

O negócio é o maior até agora em uma escalada de compras de empresas atuantes na área de mídias sociais para o meio corporativo pelas gigantes do setor de software.

A Vitrue foi comprada pela Oracle por US$ 300 milhões, e a Salesforce.com gastou cerca de US$ 700 milhões na Buddy Media.