BR é um contrato de peso para a AWS no Brasil. Foto: Pixabay.

A BR Distribuidora, subsidiária da Petrobras que é a maior distribuidora de derivados do petróleo do país, está rodando sistemas da SAP na nuvem da AWS.

O fato está meio escondido em uma divulgação da AWS sobre 20 grandes empresas clientes da SAP em todo mundo que fizeram a mesma opção.

A lista inclui a fabricante alemã de aparelhos de som Bose; a Petronas Lubricants, braço de lubrificantes da estatal malaia de petróleo; a seguradora indiana Edelweiss; a fabricante de materiais de construção americana Louisiana Pacific e a gigante de química japonesa Sumitomo Chemical, entre outras.

Com um lucro líquido de R$ 1,15 bilhão em 2017, a BR Distribuidora encaixa bem na lista, divulgada internacionalmente pela AWS.

A divulgação não chega a entrar em detalhes sobre qual sistema da BR Distribuidora exatamente está rodando na nuvem da AWS.

A BR Distribuidora implementou o sistema de gestão R/3 da SAP em 2010. Na ocasião, foi divulgado que o mesmo unificava 130 processos e sistemas diferentes.

A AWS trabalha com a SAP desde 2011 e está certificada para rodar “a grande maioria das aplicações SAP disponíveis atualmente”, afirma a empresa em nota.

Além disso, a AWS estaria “trabalhando com a SAP” para desenvolver vários serviços e ofertas SaaS, incluindo SAP Concur, SAP SuccessFactors, SAP Cloud Platform (SCP) e HANA Enterprise Cloud (HEC).

A reportagem do Baguete, no entanto, só tem conhecimento de dois casos de empresas rodando SAP na AWS no país: a Hidrovias do Brasil, uma companhia de transporte hidroviário de grande porte.

Outro case importante é o da Yara, que migrou seus sistemas SAP para a AWS com consultoria da Tivit.

Em 2015, a Totvs, maior empresa de software de gestão brasileira, fechou um acordo com a AWS pelo qual os seus clientes podiam optar em usar a nuvem dos americanos.

Sem dúvida existem outras movimentações acontecendo, que não chegam a transparecer devido à postura mais do que discreta da AWS no Brasil (a divulgação da BR partiu de fora).

Isso pode mudar daqui para diante. Em junho, a AWS contratou Cleber Morais, ex-presidente no Brasil da Schneider Electric, multinacional francesa de gestão da energia elétrica e automação, acaba de assumir o cargo de country director no país.

Morais é um executivo de alto perfil: estava há pouco mais de dois anos na Schneider Electric, de onde veio da Bematech. 

O executivo assumiu como CEO da companhia de impressoras fiscais em 2011 e saiu pouco depois da aquisição da mesma pela Totvs.

Morais foi também country manager da Avaya e da Sun, tendo passado mais de uma década nessa última.

A contratação pode sinalizar uma mudança de perfil na operação brasileira da AWS. 

A empresa instalou seu primeiro data center na América do Sul em São Paulo há cinco anos, mas não revelando quase nada sobre clientes locais, investimentos ou contratações (tipicamente, o mercado ficou sabendo da contratação de Morais pelo Linkedin do executivo).