Mais dificuldades para a Rovio. Foto: divulgação.

Parece que as coisas não andam muito boas para a Rovio, desenvolvedora finlandesa que conquistou fama global ao criar o sucesso mobile Angry Birds. A empresa anunciou um corte de 260 empregos, em decorrência das quedas em faturamento com sua marca mais conhecida.

O corte chega um ano depois de outra onda de demissões onde a companhia mandou embora 110 pessoas. No final de 2013, quando a desenvolvedora ainda surfava a onda de sucesso com os Angry Birds, a Rovio contava com 800 empregados.

A redução estrutural pode parecer uma surpresa para os fãs da empresa finlandesa, já que o novo game da franquia - Angry Birds 2 - já acumulou mais de 50 milhões de download em um mês de lançamento, ficando no topo dos ranking de downloads.

Por outro lado, a empresa está fracassando na estratégia de capitalizar em cima de microtransações dentro do jogo, ficando na decepcionante posição 42 entre os games com maior receita, bem atrás de sucessos como Game Of War, Clash of Clans e Candy Crush Saga.

Angry Birds foi o primeiro grande sucesso dos games móveis, acumulando mais de três bilhões de download em todos os games da série, indo além dos dispositivos móveis para outros consoles - em uma parceria com a Electronic Arts - e até mesmo fora dos games, com desenhos animados, brinquedos e livros.

Entretanto, a Rovio sofreu com a mudança do modelo de receita dos jogos móveis, que saiu do pagamento prévio pelo jogo e agora gira em torno dos apps freemium, onde é possível jogar de graça e comprar itens dentro do jogo para melhorar a experiência.

"Agora tudo é sobre games freemium, microtransações e tempos de espera. Angry Birds não foi feito para este modelo. Em outras palavras, Angry Birds 2 provavelmente não é o suficiente para pagar as centenas de funcionários que a Rovio possui", afirmou o analista Romain Dillet, do TechCrunch.

Além da sede em Espoo, em seu país natal, a desenvolvedora tem escritórios em Estocolmo, Londres, Nova York, Los Angeles, Vancouver, Xangai, Seul e Tóquio. No Brasil, a empresa também tem representação, responsável pelos lançamentos locais de jogos e licenciamento da marca Angry Birds para produtos de terceiros.

Apesar de ainda contar com uma marca conhecida e um mercado forte com seus produtos licenciados, a Rovio pode ter problemas com a queda no sucesso de seus games, que podem tornar os passarinhos irrelevantes em um futuro não muito distante.

Mas ainda há esperança para a Rovio. A companhia está apostando alto em transformar a franquia em um sucesso de bilheteria nos cinemas. A empresa está desenvolvendo uma animação com os personagens, com previsão de lançamento para o ano que vem.

Um dos indícios principais disso é que os times envolvidos na produção do filme, baseados principalmente nos Estados Unidos e Canadá, não sofrerão cortes, conforme apontou a companhia.

"Focar os recursos e energia da empresa no filme é uma grande aposta, e isso determinará o futuro da desenvolvedora de games", finalizou Dillet.