Os cursos disponíveis na Brasil Mais Digital abordam temas com algoritmos em .Net, Java e Cobol e arquitetura de computadores. Foto: Pexels.

O Movimento Brasil Digital, iniciativa que tem mantenedoras como Cisco, Embratel, Google, IBM, Intel, Microsoft e Oracle, agora conta com uma plataforma de capacitação.

O objetivo com o portal é capacitar, em 5 anos, 3 milhões de pessoas. O site oferece aulas para todos os níveis de conhecimento, da introdução a fundamentos básicos de TI até a programação avançada.

Hoje há 52 cursos disponíveis, todos gratuitos. Entre os temas abordados estão algoritmos em .Net, Java e Cobol; arquitetura de computadores; sistemas operacionais; matemática aplicada e gestão de discos em TI.

Para se inscrever, é necessário se cadastrar no site. Além disso, o Brasil Mais Digital conta também com um curso específico de língua inglesa.

Os cursos ofertados duram, em média, 30 horas. A plataforma garante que o aluno receba uma certificação após concluir todas as aulas e atingir 60% de acertos na avaliação final. O usuário pode fazer quantos cursos quiser e não há período pré-estabelecido para a sua conclusão.

Como forma de incentivo, há um sistema de ranking no portal. Conforme os alunos concluem os cursos, ganham pontos e alavancam sua classificação. 

Para quem não possui conhecimento prévio, o site traz uma orientação de trilhas específicas, que vão desde as aulas mais introdutórias de cada temática – como programação ou redes – até as mais avançadas.

A plataforma também conta com uma área de oportunidades de trabalho de empresas parceiras, uma área internacional com informações sobre bolsas de estudo em escolas fora do Brasil e uma área para empreendedores, com cursos específicos para o desenvolvimento do empreendedorismo e uma agenda de eventos em todo o país sobre o tema. 

Criado em abril de 2018, o Movimento Brasil Digital busca promover o diálogo entre os setores público e privado, para a construção de propostas que tragam tecnologia e inovação ao centro da estratégia do país.

Hoje, são mais de 30 de empresas envolvidas: ArcelorMittal, Accenture, Autopass, Fundação Brava, Cielo, Cisco, Cubo, EDP, EY, Embratel, Fiap, FDC, Google, Globo.com, Gol, GPA, Great Place to Work, Green 4T, HSM, Huawei, IT Mídia, IBM, Intel, Korn Ferry, Microsoft, Oracle, PG Advogados, Sabin, Serasa Experian, Salesforce, Whirlpool e ZUP.

O CEO da iniciativa, nomeado em abril, é Thiago Camargo. O executivo é advogado e mestre em administração pública pela Columbia University.

Camargo já atuou como Secretário Nacional de Políticas Digitais e Superintendente Executivo de Ciência, Tecnologia e Inovação do estado de Goiás.