Alexandre Cembranel e Luciano Stabel. Foto: Vilson Barros.

A BR Supply, empresa de suprimentos sediada em São Leopoldo, está apostando em tecnologia para ampliar a presença nos seus clientes, deixando de ser um provedor de produtos para oferecer uma solução completa para o setor de compras.

Desenvolvido internamente pela companhia, o software Supply Manager desempenha para os clientes diversas funções do setor de compras, estabelecendo para as diferentes áreas da empresa orçamentos e possibilidades de compras distintas.

“A ideia é descentralizar a área de compras dos nossos clientes que passam a ser feitas diretamente pelos usuários por meio de um portal customizado para cada organização”, afirma Alexandre Cembranel, gerente de TI da BR Supply.

Já usam o sistema Sicredi, Droga Raia, Sapore, Koppenhagen e o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio).

Como a BR Supply oferece o acesso ao portal gratuitamente, as organizações que optem pelo modelo também podem reduzir custos com licenças para o módulo de compras dos seus sistemas de gestão, salienta Cembranel, destacando que o Supply Manager já funciona integrado com ERPs da SAP e Microsiga.

Além da gama de milhares de produtos com que a BR Supply já trabalha – desde papel de ofício até  EPIs e produtos de limpeza, passando por capas de iPad e apetrechos para coffe break – o portal pode incluir produtos de terceiros.

Assim, na versão disponibilizada para o Sicredi, uma agência que tiver o orçamento liberado para tanto pode comprar um caixa automático, item que certamente não interessaria à Koppenhagen.

No outro extremo, o sistema tem uma funcionalidade para pagamento com cartão de crédito, destinado a organizações que operem com franqueados pessoa física.

Dentro do modelo de insourcing do qual o provedor de logística americano UPS virou um ícone, a proposta da BR Supply passa também por estocar os suprimentos dos clientes e até desenvolver produtos sob medida que depois podem ser comprados – uma capa de iPad com um logotipo do cliente, por exemplo.

As entregas também podem ser automatizadas, com listas de suprimentos pré-determinados chegando nas empresas sem necessidade de que um pedido seja feito.

O próximo passo da empresa é usar o Supply Manager como base para uma operação de e-commerce a ser lançada no primeiro semestre do ano que vem. Parte da preparação passa por dobrar a área de estoque da empresa.

“Estamos trabalhando na seleção e na organização dos produtos. A ideia é oferecer o poder de compra da BR Supply para pequenas empresas e escritórios que hoje fazem compras de modo desestruturado”, explica Luciano Stabel, gerente de E-commerce da BR Supply.