Ademar Scariot, Sandro Wegner, Thiarlei Macedo, Geraldine Fonseca e João Paulo Colleoni, alguns dos envolvidos no projeto.

Um grupo de 22 empresas de tecnologia de Caxias do Sul, na serra gaúcha, bancou a instalação de três antenas na cidade para oferecer conectividade de longo alcance para projetos de Internet das Coisas.

As antenas usam a tecnologia LoRa, um padrão de comunicação que permite coberturas de 10 quilômetros quadrados, para tráfego de dados em baixa escala e com pouco consumo de energia, típico de aplicações de IoT. 

Os pontos de rede de Caxias fazem parte da The Things Network (TTN), uma rede de IoT aberta fundada na Holanda em 2015, hoje com pontos LoRa instalados em 4,1 mil locais em 97 países.

A rede organizada pelas empresas caxienses, organizadas pelo Trino Polo, uma associação de TI da cidade, cobre a área urbana do município, que com quase meio milhão de habitantes é o segundo maior do Rio Grande do Sul e sede de algumas das maiores empresas do estado.

A capacidade é de 30 mil equipamentos simultâneos.

Entre as cidades brasileiras, Caxias do Sul é a primeira a possuir três equipamentos. Ao todo, existem redes do tipo em 18 cidades do país, incluindo Porto Alegre, Joinville, São Paulo e Recife, entre outras.

“Estamos democratizando a tecnologia e o acesso à comunicação de dados para milhares de pequenas empresas de Caxias do Sul, que sozinhas não teriam condições de prover uma infraestrutura tão sofisticada de comunicação. É um marco de transformação para nossa cidade se tornar uma cidade inteligente”, afirma o presidente do Trino Polo, Thiarlei Macedo. 

As 22 empresas envolvidas na viabilização do projeto das antenas são: Bitcom, BTI, Cirux Software, Conecta Softwares, Datalan, Effective Software, Energy Telecom Sul, Enttry Software, JM Soft, Keyworks, Manp Tecnologia, Metadados, Millennium Informática, Native, Netinstruments, Núcleo Sistemas, Risco Zero, Skeel Recrutamento Inteligente, Softbyte, Speedfy Aceleradora, W3 e Winckler.