ENTRADA

Startup quer mudar portarias

26/11/2021 12:08

Cansado de baixar para buscar a pizza? Entrada Segura tem uma solução.

Felipe Pinheiro, fundador do Entrada Segura. Foto: divulgação

Tamanho da fonte: -A+A

Uma startup gaúcha quer mudar um pedaço do cotidiano de milhares de brasileiros: ter que sair do apartamento para buscar as entregas na portaria do seu edifício, porque a política de segurança do condomínio não permite a entrada de desconhecidos.

A Entrada Segura quer resolver o problema justamente tornando os entregadores conhecidos dos condomínios por meio de um cadastro prévio de dados, com os quais eles ficariam “pré-autorizados” a entrar no prédio e entregar o produto. 

Segundo Felipe Pinheiro, fundador do Entrada Segura, a ideia para a empresa veio de observar filas para a entrada de condomínios residenciais, nos quais os entregadores ficam muitas vezes até 20 minutos.

“Um dia precisei pegar um avião e fiz o meu checkin todo em 17 minutos. Dias depois, fiquei 20 minutos aguardando para entrar em um condomínio. Foi quando eu pensei que não seria possível que essas portarias tenham mais segurança que a infra área“, relata Pinheiro

Assim, o sistema de Entrada Segura intermedia o contato do estabelecimento diretamente com o endereço da entrega e autoriza a entrada do motoboy através de uma plataforma baseada em frontend e backend. “É o mesmo processo para entrar em um avião", explica Pinheiro.

Sem utilizar um aplicativo, a ideia é expandir os cadastros para além dos entregadores facilitando a entrada também de visitantes.

O cadastro pode ser realizado através de um link que funciona como convite e pode ser compartilhado através de mensagens pelo WhatsApp ou Telegram.

O serviço, até o momento, é vendido por R$ 99 reais mensais para os condomínios que estimulam o incentivo ao cadastro de entregadores e gratuito para estabelecimentos que oferecem o registro de seus entregadores no sistema.

Pinheiro conta que busca também levar o projeto para grandes estabelecimentos, como o Ifood, Rappi, Ubereats. Além de eventos, prédios comerciais, bares e no futuro realizar a autenticação através do reconhecimento facial. 

Segundo o fundador, existem tratativas com um fundo de investimento chines para expansão do serviço. Pinheiro faz segredo sobre nomes e valores.

Felipe Pinheiro atuou durante seis anos como gerente sênior na EY, empresa multinacional de consultoria e auditoria com sede em Londres, Inglaterra, Reino Unido. 

Anteriormente, Pinheiro foi consultor de negócios por três anos na Powerlogic, companhia mineira especializada em TI. 

O Entrada Segura também conta com o conselheiro Paulo Alencastro, co-fundador da Unico, empresa que é o player de mais sucesso até o momento no nicho de assinatura digital e biometria facial, tendo captado investimentos milionários.

Nada mal para uma empresa que ainda está em fase inicial, com cerca de 50 motoboys cadastrados.

Veja também

PRIMAVERA
Cisco patrocina espaço do Acate

Ação em Floripa é a primeira do gênero da Cisco no país e tem envolvimento da parceira Teltec.

MUNDO
A influência crescente da China no open source

Potência asiática contribui cada vez mais com o desenvolvimento de softwares de código aberto.

FINTECH
TruePay recebe aporte de R$ 176 milhões

Rodada série A foi liderada pelo Addition, novo fundo de venture capital de Lee Fixel.

FINTECH
Sinqia investe R$ 1,5 mi na Cashway

Este é o segundo aporte da companhia na startup catarinense.

VAREJO
Centauro adota solução do Escala

Com a plataforma, ideia é organizar a demanda com base nos indicadores da companhia.

UX
Medallia fecha contrato com Lojas Renner

A startup americana abriu operação no Brasil em meados de 2020.