Ericsson se segura com cortes. Foto: divulgação.

A Ericsson anunciou seus resultados financeiros para 2015, registrando queda em sua receita, mas garantindo seu lucro operacional baseado em diversos cortes em sua operação global.

Apesar de não revelar seus números de vendas, a companhia apontou uma queda de 5% em receita em 2015, recuo maior que os 2% registrados em 2014 em relação a 2013.

Entretanto, a empresa reduziu suas despesas operacionais em cerca de US$ 12%, acumulando um lucro operacional de US$ 1,3 bilhão no ano, valor mais que o registrado pela empresa em 2014, que foi de US$ 741,4 milhões.

O plano de redução de custos da Ericsson não deve parar por isso, segundo apontou o CEO da companhia Hans Vestberg durante a divulgação dos resultados. A empresa quer chegar a uma média de US$ 1,1 bilhão economizados anualmente até 2017, o que pode envolver novos cortes.

"Nossa preparação está muito maior caso precisemos fazer mais (cortes)", afirmou Westberg.

Para analistas, a decisão da Ericsson em cortar na carne é uma decisão conservadora em um mercado que está cada vez mais investindo em novas redes e tecnologias. O setor de P&D da Ericsson foi um dos mais afetados pela política interna de economia.

Com a competição agressiva de empresas ocidentais como Nokia e Alcatel-Lucent, assim como asiáticas como Huawei, a empresa preferiu firmar parcerias com grandes nomes como Cisco, para vender conjuntamente suas soluções.