Leonel Oliveira.

A Nutanix, fabricante de appliances para armazenamento e virtualização, começou a fabricar equipamentos no Brasil.

A manufatura nacional ficará a cargo da Neuwald, empresa com matriz em Brasília, escritório em São Paulo e uma fábrica em Ilhéus, na Bahia.

Com a montagem local dos equipamentos, a Nutanix se enquadrada nas regras do Processo Produtivo Básico (PPB) da Lei de Informática, o que garante uma carga tributária menor sobre os produtos.

Instituída em 1991, a Lei de Informática isenta 80% do IPI para empresas das regiões Sul e Sudeste, e 95% para as demais regiões, em troca de uma exigência mínima de fabricação nacional e investimentos em P&D e 4% do faturamento líquido das empresas, e 4,35%, respectivamente.

Em nota, a empresa não comentou qual será o novo preço dos seus equipamentos no país. 

De qualquer maneira, o início da produção sinaliza o aumento da Nutanix com o mercado brasileiro, onde a empresa abriu uma filial ainda em janeiro.

Desde então, a companhia constitui um modelo de distribuição e integradores, como Agility Networks, Servix, HQS, Decatron, IPTrust, TechChannel, entre outros.

“Atuamos 100% via canais e, para reforçar nossa estratégia de crescimento em um mercado estratégico como é o Brasil, precisamos de um parceiro de base que supra a demanda desta rede de forma ágil e especializada”, destaca Leonel Oliveira, country manager da Nutanix.

A aliança com a Neuwald incrementa a estrutura da empresa nesta área, agregando cerca de 250 parceiros à rede de suporte técnico de hardware.

A Nutanix foi fundada em 2009 e em três anos de operação fez vendas de US$ 100 milhões. Em quatro rodadas de captação de fundos realizadas, a empresa levantou US$ 172,2 milhões que vêm sendo destinados a acelerar sua expansão global.

Estratégia agressiva que tem dado grandes resultados – as vendas internacionais já representam 33% dos negócios da companhia, que vendeu produtos para mais de 30 países nos últimos seis meses.