Ribeirão Preto está em expansão. Foto: Wikipedia.

A Trust está avançando na sua parceria com a SAP, iniciada há pouco mais de um ano. A empresa acaba de inaugurar uma unidade para prover serviços a clientes da multinacional com cobertura em todo interior de São Paulo.

O centro tem 32 posições.  Com 650 mil habitantes no interior de São Paulo, Ribeirão Preto é um dos centros econômicos da região.

Em nota, a empresa divulga que até 2015, 50% da receita da empresa será proveniente das soluções SAP. Neste ano, a companhia deve dobrar de tamanho, chegando a R$ 100 milhões de faturamento.

É um pouco difícil analisar a validade das previsões da Trust, que não divulga o faturamento de anos anteriores, fazendo impossível de comparar os resultados obtidos até agora com as metas futuras previstas pela empresa.

De qualquer maneira, caso a empresa obtenha sua meta de dobrar neste ano, chegando aos tais R$ 100 millhões e desacelere um pouco o crescimento em 2015, ficando na faixa dos 30%, o negócio SAP pode representar algo como R$ 75 milhões no final do ano que vem.

Apesar do pouco tempo de parceria com a SAP, a Trust já mostrou pedigree, fazendo a que afirma ser a primeira implementação do sistema de gestão 100% baseado no banco de dados Hana no Brasil, na fabricante de equipamentos médico-odontológicos com sede  Gnatus, em Ribeirão Preto.

“Observamos uma lacuna de atendimento, investimos e nos preparamos para atender esta demanda. As empresas da mesorregião de Ribeirão Preto, hoje precisam de um suporte SAP de qualidade para que possam aumentar sua competitividade”, explica Luciano Fernandes, diretor Comercial do Grupo Trust.

Com sedes em Ribeirão Preto, São Paulo e Rio de Janeiro, a Trust tem 150 clientes ativos e cerca de 200 colaboradores.

Ribeirão Preto é um polo de TI em expansão: 27 das 42 empresas pertencentes ao Piso (Polo Industrial de Softwares) faturaram sozinhas R$ 243,5 milhões no ano passado.

De acordo com informações da Folha de São Paulo, o valor representa 143% a mais que os R$ 100 milhões gerados pelas 25 empresas do polo em 2005. O Piso foi fundado em 2004 por nove empresas.

A título de comparação, as 73 empresas instaladas no Tecnosinos, um dos maiores parques tecnológicos do Rio Grande do Sul, instalado em São Leopoldo, faturaram R$ 1,3 bilhão em 2011, último ano no qual a cifra foi divulgada.