Luiz Ricardo Martins

A Disys, multinacional americana de serviços de TI e terceirização de processos de negócios, acaba de abrir uma unidade em Campinas, no interior de São Paulo.

É a quinta no país, depois de Curitiba, Porto Alegre, Rio de Janeiro e São Paulo.

“Temos certeza que o novo escritório nos trará bons resultados, especialmente porque a saúde dos negócios está diretamente ligada à redução de custos operacionais, sobretudo em momentos de crise”, afirma Alexsandro Tolomei, diretor de negócios da Disys responsável pela nova operação.

A Disys não abriu em nota com quantos funcionários a operação campinense começa ou qual é a projeção de contratações para os próximos meses.

A empresa pode estar escaldada sobre previsões de contratações. Em 2014, VP Global de RH da Disys, Marty Guillamun, disse ao Baguete que a meta da empresa era incrementar sua equipe em 300 pessoas no Brasil, atingindo mais de 1 mil profissionais. 

Entre 2015 e 2016, com a crise econômica, a companhia fez cortes no país, chegando ao número de 700 colaboradores que divulga oficialmente hoje em dia.

As medidas trouxeram resultados no entanto. A empresa fechou o ano passado com um faturamento líquido de R$ 55 milhões no Brasil, uma alta de 20% sobre os resultados do ano anterior.

O objetivo para 2017 é alcançar um crescimento de aproximadamente 18% e ultrapassar a marca de R$ 65 milhões no faturamento líquido local.

Com a abertura em Campinas, a aposta da empresa parece ser reforçar seus negócios na região Sudeste, que já responde por 60% da receita da companhia.

“Estamos aptos a atender às exigências e necessidades das empresas locais para gerar novos e bons negócios em nossa própria carteira de clientes”, afirma Luiz Ricardo Martins, country manager da Disys Brasil.

Apesar dos efeitos da crise, Campinas é o centro de um mercado potencial enorme. 

Dados do IBGE de 2012 apontavam que a cidade é a terceira colocada entre não capitais em termos de PIB, só atrás de Campos dos Goytacazes e Guarulhos. 

Em todo o país, incluindo as capitais, Campinas aparece na 10ª posição, superando 17 delas.

A primeira operação da empresa empresa foi aberta em Curitiba em 2007 para atender a um contrato internacional de SAP com a Exxon Mobil. 

Desde então a Disys vem crescendo sua operação brasileira, que, segundo disse ao Baguete o CEO da empresa, Mahfuz Ahmed, é a segunda maior operação fora dos Estados Unidos, ficando em torno de 10% do faturamento global.

Em 2012, último ano com resultados divulgados, a Disys faturou US$ 330 milhões, mantendo uma média de crescimento na faixa dos 30% ao ano. A meta é chegar a US$ 1 bilhão até 2017.