Paul Hermelin. Foto: divulgação.

A Capgemini, multinacional francesa de serviços de consultoria em TI, anunciou nesta segunda-feira, 27, a aquisição da norte-americana Igate, em um negócio de US$ 4 bilhões.

Com a compra, a companhia européia pretende aumentar sua presença no território norte-americano. De acordo com o Wall Street Journal, a aquisição torna os Estados Unidos o maior mercado da multinacional em todo o globo.

Segundo dados divulgados pela própria Capgemini, ao incorporar a companhia de New Jersey, o grupo deverá alcançar em 2015 uma receita de € 12,5 bilhões. No primeiro semestre do ano, a companhia contabilizou € 2,76 bilhões.

Na fusão com a Igate, que deve ser concluída ainda no primeiro semestre do ano, a companhia deverá atingir um total de 190 mil empregados em todo o mundo. 

Para O CEO da Capgemini, Paul Hermelin, ao absorver a operação da Igate, a empresa agora tem mais subsídios para escalar seus negócios no país, onde registrou um crescimento de 34% no primeiro trimestre de 2015 - foi a região que mais cresceu no período.

"Ela (a aquisição da Igate) vai nos dar um novo status no mercado norte-americano", afirmou o executivo.

Nos Estados Unidos a Igate conta com clientes grandes como a General Electric, assim como uma forte presença no segmento financeiro, com nomes como o Royal Bank Of Canada.

Além disso, a Igate tem uma larga presença na Índia, onde 60% de seus 33 mil empregados atuam. 

A aquisição, bem recebida pelos acionistas da Capgemini, será bancada parcialmente em dinheiro da empresa e outra parte virá de um aumento no capital da companhia, diluindo a base atual de ações em 6%. Uma terceira parte do valor da aquisição será financiada a médio prazo.

Entretanto, analistas apontam a aquisição como um risco para o crédito do grupo francês. A Standard & Poor’s Ratings Services reagiu rapidamente ao diminuir a avaliação de crédito da empresa de BBB para BBB+.

“Acreditamos que o perfil de risco financeiro da companhia foi enfraquecido", destacou a S&P em nota. A favor da Capgemini, Hermelin destacou que a empresa não tem planos de mais aquisições nos próximos dois anos.

No Brasil, a principal aquisição da Capgemnini foi em 2010, quando pagou R$ 514 milhões por 55% da CPM Braxis, uma das maiores consultorias de TI do país, que antes era controlada majoritariamente pelo Bradesco.