Baguete
InícioNotícias> Oi terá MDM da IBM

Tamanho da fonte:-A+A

MOBILIDADE

Oi terá MDM da IBM

Maurício Renner
// quarta, 27/04/2016 10:20

A Oi fechou um acordo com a IBM para oferecer aos seus clientes a plataforma de gerenciamento de dispositivos móveis (MDM, na sigla em inglês) Maas360 na modalidade como serviço.

Oi quer fazer MDM com tecnologia da IBM. Foto: Shutterstock

O Maas360 faz a gestão de smartphones, tablets e aplicativos, incorporando conceitos de segurança, monitoramento e gestão remota dos dispositivos móveis e será incorporado no produto Oi Gestão Mobilidade.  

O Gestão Mobilidade tem outras funcionalidades além de MDM, incluindo a possibilidade de criar lojas de apps próprias para empresas, segurança e gerenciamento do tráfego de dados.

“Essa solução é uma evolução do portfólio da Oi e atende à necessidade das empresas de maximizar os ganhos de produtividade através do uso crescente dos dispositivos móveis, incluindo smartphones e tablets, em seus ambientes internos”, disse Luiz Carlos Faray de Aquino, diretor de Negócios TI B2B da Oi.

A Oi vem fazendo uma série de movimentações visando fazer decolar sua oferta de soluções de TI para a área corporativa.

No final do ano passado, a companhia trocou de distribuidor da sua oferta de TI e dados: saiu a Ingram Micro e entrou a Westcon.

Pesou a favor da Westcon o fato ser desde 2008 a distribuidora da Cisco no país: a Oi se tornou parceira master da gigante americana para nuvem e serviços gerenciados em 2015.

A distribuidora fechou ainda um acordo para distribuir produtos da Microsoft para pequenas, uma oferta alinhada com a da Oi.

No final do ano passado, 15% dos clientes corporativos da Oi já usufruem dos serviços de TI da companhia, totalizando cerca de 750 empresas. A operadora afirma crescer 20% ao ano nessa área.

O investimento da operadora e abrangência do porfólio de soluções, ao qual tem sido adicionados novos produtos com alguma frequência, autoriza ambições maiores.

A Oi começou sua ofensiva no mercado corporativo em 2012, com o lançamento da Smart Cloud e investimentos previstos de R$ 52 milhões. O último desdobramento foi a inauguração, em julho do ano passado, do quinto data center da empresa, em São Paulo. 

De uma maneira geral, as operadoras de telefonia tem buscado marcar uma posição no mercado de serviços de tecnologia para um público corporativo, visando deixar de ser apenas os provedores da conectividade em cima da qual outros players montam serviços mais lucrativos. 

TIM e Vivo entraram no mercado de cloud mais ou menos ao mesmo tempo que a Oi, com investimentos similares.

Maurício Renner