HPE puxou o fio da sua área de SDN. Foto: divulgação.

A HPE decidiu terminar discretamente com a sua linha de produtos para redes definidas por software (SDN, na sigla em inglês), ao descontinuar sua suíte de OpenSDN.

O site britânico The Register teve acesso a um memorando interno da empresa, no qual as equipes comerciais são orientadas a terminar com demos e provas de conceito em curso. 

Com isso, a HPE deixa de ter uma plataforma open source de virtualização de redes para ISPs e provedores de serviços de TI. 

SDN é uma das tecnologias mais hypadas dentro da área de telecomunicações, pela possibilidade de levar para a camada de rede os benefícios de corte de custos vistos na de servidores com as tecnologias de virtualização. 

A movimentação abre espaço para novos players disputarem espaço com a Cisco, hegemônica na área de redes com uma oferta baseada em tecnologia proprietária.

A então HP entrou nessa área com mais força em 2015, ao adquirir a ConteXtream, startup californiana dedicada ao segmento. No seu memorando, a HPE frisa que o fechamento da área não deve ser considerado um retrocesso no apoio a plataformas abertas.

Mas a verdade é que a HPE tem acumulado decisões que parecem indicar o caminho oposto.

Em dezembro de 2016, a empresa vendeu a tecnologia e as equipes do produto de plataforma como serviço Open Stack e de infraestrutura como serviço Clound Foundry da HPE para a SUSE.

Com isso, a SUSE será se tornou a parceira preferencial da HPE para Linux, OpenStack e Cloud Foundry. 

Dois meses antes, a HPE vendeu o seu negócio de software, incluindo a Autonomy, para a Micro Focus, que também é dona da SUSE.