Tomás Duarte, CEO da Tracksale. Foto: Divulgação.

A Tracksale, startup de Belo Horizonte focada na experiência de compra, fechou o ano de 2016 com receita de R$ 2,4 milhões. Em 2015, o valor ficou em R$ 500 mil.

Em 2017, quando completa quatro anos de atuação, a startup espera aumentar seu faturamento para R$ 5,5 milhões e atingir mais de 100 milhões de consumidores na América Latina.

A Tracksale é especialista em Net Promoter Score (NPS) e pretende ampliar sua tecnologia para mais de 15 métricas diferentes, todas relacionadas à experiência do cliente. 

Dessa forma, a plataforma permitirá que as marcas possam coletar seus feedbacks por meio de uma única pergunta realizada via e-mail, SMS, websites, widget e aplicativos: “Em uma escala de zero a dez, quanto você recomendaria a empresa e o porquê?”. 

Todas as respostas são classificadas em três faixas: Detratores (aqueles que não obtiveram uma experiência positiva e não indicariam a loja); os Neutros (não possuem uma opinião formada sobre a empresa); e os Promotores (recomendam a empresa para outras pessoas).

O monitoramento tem como objetivo melhorar a qualidade dos feedbacks e da cultura permanente das empresas e usuários como um todo. 

“Nossa preocupação é correlacionar o NPS com indicadores econômicos da empresa, a fim de eliminar os custos que estão atrelados à má experiência do consumidor, como as reclamações negativas na internet, Procon ou até processos judiciais”, afirma Tomás Duarte, CEO da Tracksale.

Ao coletar essas informações, a Tracksale disponibiliza mais de 70 relatórios que cruzam dados estratégicos e geram insights para tomada de decisão. 

A partir disso, é possível integrar a ferramenta ao CRM da empresa para obter o monitoramento em tempo real ou realizar a tratativa com clientes insatisfeitos, por exemplo. 

Entre os clientes da companhia estão 150 marcas de diferentes segmentos, como varejo físico e online, bancos, seguradoras, instituições financeiras, indústria e fabricantes de bens de consumo, companhias áreas e logística, saúde, hospitais, laboratórios, clínicas, prestadores de serviços, turismo e hospitalidade, assim como tecnologia e startups. 

Assim, a empresa já alcançou mais de 50 milhões de consumidores, distribuídos nos seis países em que atua: Brasil, Argentina, China, Peru, Colômbia e Estados Unidos.