Sua personalidade está aí. Foto: flickr.com/photos/stevegarfield/

O centro de tecnologia da IBM em San José, na Califórnia, trabalha em tecnologia que permitirá segmentar os usuários do Twitter de acordo com cinco dimensões da sua personalidade, com o objetivo de vender os dados para empresas de marketing direto.

De acordo com informações da The Economist, a IBM já analisa uma base de dados formada por três meses de tweets de 90 milhões de usuários da rede de microblog. A partir deles é possível  determinar vetores de personalidade em extroversão, vontade de agradar, conscienciosidade, neurotismo e abertura a novas experiências.

Como? Através de força bruta computacional. O software varre as timelines em busca de palavras chave que indicam diferentes traços de personalidades. A guia é um estudo de 2010 da University do Colorado que correlacionou a aparição de palavras em blogs com traços de personalidades preestabelecidos por testes.

Algumas coisas são evidentes. Pessoas extrovertidas mencionam mais vezes palavras como bar, restaurante e grupo. Neuróticos usam mais horrível, preguiçoso ou deprimente. Mas há relações menos óbvias. Confiança, uma das características das pessoas agradáveis, é relacionada com verão e o nível de vontade de cooperar com a palavra incomum.

Segundo a The Economist, a IBM afirma que é capaz de começar a identificar a personalidade de um usuário com apenas 50 tweets e que com 200 já tem um perfil completo.

O primeiro cliente de um software do tipo seriam as empresas de marketing direto, que só nos Estados Unidos gastaram US$ 170 bilhões em enviar correio eletrônico e físico para possíveis clientes, com taxas de conversão de 0,1% e 3%, respectivamente.

Na opinião dos pesquisadores da IBM, o problema é que os envios são segmentados de acordo com dados demográficos como idade, sexo, status conjugal, salários, endereços, hábitos de compra e assim por adiante, quando poderiam ser divididos por “perfis psicológicos profundos”, reveladores de personalidades, valores e necessidades mais decisivos nas decisões de compra.

A novidade já está em testes por uma empresa de serviços financeiros e deve estar disponível comercialmente até o final do ano.

Se você começar a se identificar emocionalmente com o conteúdo da sua caixa de spam é sinal que a nova tecnologia da IBM funciona.