João Doria, governador do estado de São Paulo. Foto: Governo do Estado de São Paulo.

O Governo do Estado de São Paulo anunciou na tarde desta quarta-feira, 27, o plano para a retomada gradual de algumas atividades econômicas a partir do dia 1º de junho. 

No plano, o estado foi dividido em regiões, que são classificadas por cinco cores de acordo com critérios estabelecidos pela secretaria de saúde, como a taxa de ocupação de UTIs, dados de mortes, casos e internações por Covid-19.

Se a região receber a cor vermelha, como é o caso da Grande São Paulo e da Baixada Santista, significa que ela está em alerta máximo e somente os serviços essenciais podem funcionar. 

O nível de restrição vai diminuindo gradativamente nas cores laranja, amarela, verde e azul. 

A capital São Paulo, assim como a maioria do estado, foi enquadrada na cor laranja, que permite somente a abertura de escritórios, atividades imobiliárias, concessionárias, comércio e shoppings - todos com restrições.

Já as regiões de Barretos, Presidente Prudente, Araraquara e Bauru foram classificadas com a cor amarela. Nestes casos, bares, restaurantes e salões de beleza também podem abrir com regras.

Por enquanto, nenhuma parte do estado recebeu as cores verde e azul, as mais permissivas. A situação será reavaliada a cada sete dias.

A indústria não essencial e a construção civil são permitidas em todas as cores, enquanto a abertura de espaços públicos continua proibida em todos os casos.