HIDRELÉTRICA

CPFL Energia investe R$ 4,5 mi em robô submarino

27/05/2021 10:42

Protótipo está em fase de testes no Complexo Ceran, na região Nordeste do Rio Grande do Sul.

A CPFL é dona de 65% da Companhia Energética Rio das Antas (Ceran). Foto: divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

A CPFL Energia, o Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) e a Fundação Casimiro Montenegro Filho (FCMF), desenvolveram um robô submarino para a inspeção de túneis de abastecimento de usinas hidrelétricas com investimento de R$ 4,5 milhões.

Segundo a companhia, o objetivo é proporcionar mais segurança às operações de verificação da integridade estrutural de locais inacessíveis e, com isso, garantir o funcionamento adequado das usinas.

O projeto faz parte do programa de P&D da ANEEL, iniciado em 2018, e o primeiro protótipo do robô está em fase de testes no Complexo Ceran, localizado na região Nordeste do Rio Grande do Sul, operando de forma cabeada. Enquanto isso, o segundo já está em fase de construção, com a possibilidade de operar de forma autônoma.

Por meio de um plano de funcionamento, o dispositivo percorrerá um túnel com aproximadamente 7 km, totalmente submerso, em inspeções periódicas. 

Nesta atividade, o robô mapeia em 3D as paredes internas do túnel por meio de dados obtidos por um sonar, verifica a integridade da estrutura e identifica possíveis obstruções da passagem da água, que podem prejudicar a eficiência do sistema da usina.

“O robô é uma solução de baixo custo e alta segurança, e garante o funcionamento pleno do sistema submerso de túneis de adução de usinas hidrelétricas, que, por causa das características do seu ambiente operacional, impossibilitam a ação de mergulhadores”, explica Rafael Moya, gerente de inovação e transformação da CPFL Energia.

Além da inspeção de túneis, a solução está sendo testada em outras aplicações dentro do complexo das usinas, como na inspeção de grades e mecanismos que compõem o sistema. De acordo com a CPFL, os resultados são promissores.

Criada há 108 anos, CPFL Energia é um dos maiores grupos privados do setor elétrico brasileiro e atua nos segmentos de distribuição, geração, transmissão, comercialização e serviços. Em geração, é a terceira maior agente privada do país, com capacidade instalada de 4.305 MW.

No mercado de distribuição, a companhia totaliza mais de 10 milhões de clientes em 687 cidades, entre os estados de São Paulo, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Paraná. Na comercialização, tem uma participação de mercado de 4%.

Desde 2017, o Grupo faz parte da State Grid, estatal chinesa que é a terceira maior organização empresarial do mundo e a maior empresa de energia elétrica, atendendo 88% do território chinês e com operações na Itália, Austrália, Portugal, Filipinas e Hong Kong.

A CPFL é dona de 65% da Companhia Energética Rio das Antas (Ceran), que também tem como investidores a Companhia Estadual de Geração e Transmissão de Energia Elétrica (CEEE-GT), com 30%, e a Statkraft Energias Renováveis S.A., com 5%.

A Ceran é responsável pela construção e operação do Complexo Energético Rio das Antas, situado entre os munícipios de Antônio Prado, Bento Gonçalves, Cotiporã, Flores da Cunha, Nova Pádua, Nova Roma do Sul e Veranópolis.

Veja também

RANSOMWARE
Grupo Moura sofre ataque hacker

Responsável seria o DarkSide, mesmo grupo que atacou a Colonial Pipeline e a Copel.

ELÉTRICO
CPFL Energia: gestão de documentos com Docket

A companhia utiliza inteligência artificial na análise e gestão de matrículas de imóvel.

ESPÉCIES
Organizações não digitais serão extintas

A pandemia deu um empurrão na digitalização, mas muitas empresas ficaram no meio do caminho. 

IMÓVEIS
Sky vende DC para fundo por R$ 49,3 mi

E aluga ele de volta por R$ 300 mil mensais durante 15 anos. 

SISTEMAS
Quantiq tem suporte Rimini para S/4

Empresa é uma das primeiras a terceirizar o suporte do novo ERP da SAP.

GAMIFICAÇÃO
Raízen treina motoristas com Sábios

Com a plataforma, a companhia pretende capacitar cerca de 500 profissionais terceirizados.

LUZ
Eletron Energy adota SAP Business One

Projeto foi entregue em cinco meses pela Alfa, uma parceira com foco no setor elétrico.

INVESTIMENTO
Delfos capta R$ 5 milhões

A rodada foi liderada pela Domo Invest com participação da EDP Ventures, BMG Uptech e Bossanova.

OPERAÇÕES
Uma infraestrutura, qualquer workload

O HPE Synergy sintetiza toda ideia de Composable Infrastructure.

BALA
Soluti: R$ 30 mi em nova sede com data center

Empresa de certificação digital terá um dos maiores DCs do Centro Oeste.