A Estre é especializada em todas as etapas da gestão ambiental. Foto: Divulgação.

A Estre Ambiental assinou uma parceria com a SAP para implementação da solução de gestão SAP ERP on Hana.

A escolha pelo software foi feita depois de uma análise entre os três principais players do mercado - no Brasil, o segmento tem Totvs, SAP e Oracle como líderes. O início do projeto, realizado pela T-Systems, aconteceu há cerca de dois meses.

O projeto de adoção do ERP dá continuidade a uma reestruturação iniciada em 2014 na Estre, que já elevou seu faturamento e incluiu o saneamento de processos, redução de custos e consolidação de compliance e controles.

“Para consolidar a reformulação, não podíamos continuar com o antigo sistema, que já contemplava um número grande de customizações. Decidimos começar do zero, com uma solução ERP capaz não só de garantir a melhoria de processos, evitando retrabalhos, como também de proporcionar melhores práticas de gestão”, afirma Rodrigo Cossovan, superintendente de Tecnologia e Finanças da Estre.

A empresa é especializada em todas as etapas da gestão ambiental – da coleta à varrição, transporte, destinação, geração de energia, tratamento de influentes e reciclagem .

No mercado desde 1999, a empresa tem atualmente mais de 18 mil funcionários com 22 unidades próprias e escritórios regionais nas cidades de Maceió, Ribeirão Preto e Curitiba, além do escritório corporativo em São Paulo.

Para unificar as diferentes culturas da empresa, a Estre vai realizar kick offs em cada uma de suas regionais no país.

“Já contamos com o envolvimento das regionais para a primeira onda de implementação, que inclui os módulos de finanças, controladoria, compliance, suprimentos, comercial, manutenção, inovação (mobilidade e analytics), utilizando a plataforma SAP Hana”, diz Cossovan. 

O go live do projeto está marcado para 1º de janeiro de 2017.

“Estruturamos um contrato que tratou os custos iniciais típicos de um trabalho dessa natureza, como licenciamento, serviços de implantação, infraestrutura e suporte, dentro de um modelo de contrato de full outsourcing de TI de longo prazo, 100% alinhado com a capacidade de pagamento da Estre Ambiental”, explica Ronaldo da Matta, diretor de Vendas da T-Systems.

A segunda onda está prevista para 2017, e a terceira e última, de gestão da cadeia do lixo propriamente dito, para 2018. 

“Contamos com o apoio da Prologa, parceira internacional da SAP, que tem em seu portfólio o fornecimento de soluções para o avançado programa de gestão da cadeia do lixo em muitas cidades da Europa. Em três anos, deveremos estar com toda a nossa operação SAP”, completa Cossovan.

A SAP fechou o ano passado com uma receita de € 20,8 bilhões, um avanço sobre os € 17,5 bilhões registrados em 2014. Já o lucro da companhia ficou em € 4,25 bilhões, redução de 2% sobre os € 4,33 bilhões do ano anterior.