Estudo identificou novos vírus e variações de ameaças já existentes. Foto: flickr.com/photos/@N08

Um estudo da F-Secure sobre ameaças para dispositivos móveis, realizado neste trimestre, identificou a existência de 19 novas famílias de malwares para Android, além de 21 variações de vírus existentes, grande parte pertencente à trojans, como OpFake e FakeInst.

O levantamento identificou que as ameaças no período cresceram 64% no período, em relação ao trimestre anterior.

Foram mais de 5 mil ameaças em pacotes de aplicativos APK (Android Application Package Files) no período, enquanto a quantidade de vírus criados para roubar dados de usuários de tablets e smartphones chegou a 67,2%.

Segundo o vice-presidente de vendas e operações da F-Secure para a América Latina, Ascold Szymanskyj, oO crescimento do número de vírus para dispositivos móveis é notadamente superior em relação ao início deste ano.

"Os criminosos cibernéticos utilizam a estratégia de direcionar seus ataques onde há um grande número de usuários. Quanto mais pessoas, maiores as chances de obterem êxito”, explica.

O conhecido “Cavalo de Tróia” ainda é a ameaça mais comum, com 81% das amostras coletadas, seguido por ferramentas de monitoramento (monitoring tools), com 10,4%. Esses vírus, quando infiltrados no dispositivo, conseguem rastrear ligações, mensagens, contatos e a localização do usuário.