China Telecom prepara rede nos estados. Foto: Shutterstock.

A China Telecom, potência asiática no segmento de telecomunicações, está em negociações com a SouthTech, operadora de redes de fibra no Rio Grande do Sul, para usar a rede local da empresa gaúcha para atender companhias chinesas sediadas no estado.

O acordo, que deve ser firmado em breve e ter seus primeiros sistemas rodando já em novembro, envolve a ligação da estrutura de cabos submarinos da China Telecom a diversas operadoras regionais em estados onde empresas chinesas tem operações.

A operadora asiática já conta com ligação via cabo submarino à América Latina. Agora o plano é capilarizar esta rede, usando a infraestrutura de cabos terrestes de operadoras como a SouthTec.

Executivos da China Telecom estiveram no estado esta semana para avançar as negociações com a empresa gaúcha. Segundo Carlos Eduardo Vianna, diretor da SouthTech, o contrato tem valores na casa das dezenas de milhões de reais.

Por falar em valores altos, a China Telecom registrou em 2013 um faturamento na casa dos US$ 20 bilhões, contando com cerca de 700 mil funcionários em todo o mundo.

No Rio Grande do Sul, a SouthTec opera com corpo técnico próprio em 300 municípios, com cerca de 5 mil quilômetros de rede de rádio digital e fibra óptica.

"Além de atender empresas chinesas com filiais em território gaúcho, o plano da China Telecom envolve também conectar empresas locais às suas filiais na China", explica Vianna, que não abriu informações sobre quais empresas devem ser atendidas com o acordo.

Segundo revela o executivo, os focos de atendimento são em regiões como Serra, Grande Porto Alegre e região de Passo Fundo.

Um exemplo de empresa que pode se beneficiar com este acordo é a Foton, fabricante chinesa de caminhões que anunciou no ano passado um investimento de US$ 250 milhões para abrir uma unidade fabril em Guaíba, na região metropolitana da capital gaúcha.

A Huawei, fabricante de equipamentos de rede para telefonia e dispositivos móveis, também tem planos para o Rio Grande do Sul. Em junho deste ano, a empresa anunciou planos de instalar um centro de inovação no Tecnopuc, parque tecnológico da PUC-RS.

Em parceria com a Procergs, a empresa asiática Huawei vai trabalhar em em projetos de cidades digitais, computação em nuvem e comunicações unificadas.

Além disso, recentemente o governador Tarso Genro liderou uma missão à China para buscar possíveis parcerias e investimentos de empresas no estado.

Não se sabe ao certo as intenções da China Telecom ao ter esse trabalho para oferecer redes dedicadas à empresa compatriotas no Brasil. Com isso, a empresa pode estar de olho em maior segurança e controle de suas informações.

Para o diretor da SouthTech, ao optar por fechar acordos com operadoras menores e regionais, ao invés de grandes operadoras de cobertura nacional, a China Telecom busca uma maior qualidade de serviço.

Conforme Vianna, para atender a operadora chinesa a rede deve ser adaptada à requisitos específicos, para atender requisitos de segurança e integridade dos dados. Entretanto, de acordo com o executivo, os chineses avaliaram a estrutura da SouthTech e "se mostraram satisfeitos".

A cobertura de fibra da SouthTech deve alcançar a totalidade do estado antes do final do ano, antecipando a meta da companhia. "Somente resta ativar nossa rede em Bagé para cumprirmos a meta", afirma Vianna.

As conversas da SouthTech com empresas chinesas já datam de junho, quando recebeu executivos da Sunsea para um projeto piloto envolvendo tecnologias da companhia asiática, que fabrica cabos e equipamentos para redes de fibra óptica.

“A ideia foi estabelecer uma sociedade em que a Sunsea forneça os equipamentos e a SouthTech entre com os serviços e a mão de obra”, explicou o executivo gaúcho.