O professor Fernando Cosme Rizzo será empossado como diretor do Instituto Nacional de Tecnologia.

O professor Fernando Cosme Rizzo, do Departamento de Engenharia Química e Materiais do Centro Técnico Científico da PUC-Rio, será empossado no dia 2 de setembro como diretor do Instituto Nacional de Tecnologia (INT/MCTI) para os próximos quatro anos. 

Rizzo foi diretor do Centro de Gestão e Estudos Estratégicos (CGEE) de 2006 a 2014, além de ser membro da Academia Brasileira de Ciências e ter atuação como professor e pesquisador na PUC-Rio e em universidades da Alemanha, Inglaterra e Estados Unidos. 

“Admiro o INT por seu pioneirismo e diversas contribuições tecnológicas importantes desenvolvidas no instituto. Quero agora contribuir para a internacionalização do INT, aumentar sua visibilidade no exterior e manter a busca pela a excelência”, reforça Rizzo.

Rizzo ressalta que, neste primeiro momento, é preciso definir claramente qual é a função do INT no sistema nacional de ciência e tecnologia. 

“São muitos atores e, cada vez mais, há uma maior interação entre eles. O INT está presente em várias ações, com incubadora, empreendedorismo, apoio à indústria, suporte e inovação, mas considero que é preciso dar maior visibilidade à sua atuação dentro deste sistema”, relata.

Segundo ele, aproximar o instituto da PUC-Rio e de outras universidades do país permitirá elevar a capacidade de resposta tecnológica para atrair o interesse das indústrias.

“A internacionalização da economia é tão grande que as empresas buscam excelência e soluções em quem possa resolver os seus problemas, seja uma empresa brasileira ou do exterior. Para que o INT se torne cada vez mais um modelo de qualidade, é necessário unir núcleos competentes, boas universidades e desenvolver bons projetos de pesquisa”, afirma Rizzo. 

Sua meta é contribuir para concretizar a visão de que, em 2021, ano do centenário do INT, ele seja reconhecido como referência nacional em pesquisa e desenvolvimento tecnológico para a inovação. 

Professor do Departamento de Engenharia Química e de Materiais do CTC/PUC-Rio desde 1970 e pesquisador nível 1A do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq/MCTI), Rizzo estabeleceu vínculo com o INT desde o final da década de 60, quando ainda cursava Engenharia Metalúrgica. 

“Na minha graduação na PUC-Rio, os laboratórios utilizados em algumas disciplinas eram no INT. Ao longo da minha carreira, também tive muitos projetos de pesquisa desenvolvidos em parceria com profissionais do instituto, além de ter ex-alunos que foram contratados e trabalham lá atualmente”, lembra Rizzo.