Usina do Gasômetro, cartão postal da capital gaúcha. Foto: flickr.com/photos/raquelsantana.

A Usina do Gasômetro, cartão postal de Porto Alegre, deve voltar a produzir energia para a capital gaúcha. Mas sai o carvão e entra uma estrutura de placas solares, em um projeto de produção de energia limpa.

A iniciativa foi firmada nesta quinta-feira, 27, na sede da CEEE, com a participação da companhia de energia elétrica e suas parceiras no convênio: Alubar Energia, Ufrgs, Ufsm, CP Eletrônica, Cientec, Aeromóvel S/A, Tria Arquitetutura, Paim Comunicação e a Secretaria de Cultura de Porto Alegre.

A instalação da estrutura ficará por conta da CP Eletrônica e das universidades envolvidas, com as parceiras restantes apoiando o projeto em outras frentes, como logística e publicidade.

Recentemente a CP Eletrônica, que tem um faturamento de R$ 40 milhões previsto para 2012, foi adquirida pela multinacional francesa Schneider Electric, que conta com 5 mil colaboradores no Brasil, em 13 filiais comerciais e 9 fabris.

O investimento global na obra é de R$ 11,7 milhões, onde se destacam os recursos captados do programa P&D Aneel da Companhia Estadual de Geração e Transmissão de Energia Elétrica (CEEE-GT) e da Companhia Estadual de Distribuição de Energia Elétrica que somam cerca de R$ 6 milhões, mais o aporte de R$ 2,4 milhões da Alubar Energia.

Baseado no atual cenário econômico, o investimento realizado terá retorno num prazo estimado de 10 a 25 anos.

ATÉ 2014

Segundo destaca a CEEE, a previsão de início das obras é imediata e prevê a construção de uma usina fotovoltaica de 550 kWp (quilowatts/pico). O projeto tem previsão de conclusão em três anos.

Segundo a companhia, a produção de energia limpa evitará a emissão de 94 toneladas de gás carbônico (CO²) por ano.

A área das placas no teto da Usina será de aproximadamente 1.600 m², e outra estrutura de placas estará ao longo da linha do Aeromóvel, ocupando também aproximadamente 1.600 m². Também serão utilizados parte dos telhados da Cientec (aproximadamente 500 m²).

O projeto contempla ainda a implantação de uma central experimental de geração solar fotovoltaica de 50 kWp (parte da usina) a ser instalada na Cientec e também uma estação solarimétrica com sistema de aquisição, monitoração e análise de dados.

HISTÓRIA

Fundada em 1928, a usina termelétrica do Gasômetro forneceu energia à base de carvão vegetal para o município por mais de quatro décadas, até ser desativada pela CEEE em 1970.

Com a revitalização da orla do Lago Guaíba, onde a usina fica localizada, o local foi reformado, tombado e transformado em centro cultural, se tornando atualmente um ponto de encontro para a comunidade porto-alegresense.