Foto: divulgação.

O InovaHC, centro de inovação do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HCFMUSP), assinou um acordo de colaboração com a Cisco do Brasil voltado à digitalização dos ambientes hospitalares e à assistência remota de pacientes.

O projeto fará parte do Brasil Digital e Inclusivo (BDI), programa de aceleração digital da Cisco, e do Saúde Conectada, do InovaHC, que visa transformar os serviços de saúde por meio do uso de tecnologias digitais emergentes.

Segundo a empresa, o acordo assinado contará com diversas iniciativas e a primeira ação é a concepção e desenvolvimento de uma plataforma digital para monitoramento, acompanhamento e assistência remota de pacientes crônicos.

Isso será realizado através do uso de tecnologias de colaboração, internet das coisas (IoT), dispositivos vestíveis e inteligência artificial. 

De acordo com a Cisco, a ideia nasceu durante a crise gerada pela pandemia da Covid-19, com a necessidade de acompanhar e monitorar pacientes críticos durante a internação e após o seu retorno ao ambiente domiciliar.

O foco inicial é nas doenças crônicas não transmissíveis (DCNTs) porque elas são a principal causa de morte e de adoecimento no mundo e representam uma grande carga para os sistemas de saúde devido a seu crescente custo.

Considerando apenas a hipertensão, diabetes e obesidade, estima-se que o SUS tenha desembolsado R$ 3,45 bilhões em 2018.

Com o monitoramento e acompanhamento contínuo de toda a jornada do paciente antes, durante e após as interações com o sistema de saúde, será possível criar um modelo de prevenção e controle das doenças crônicas, amenizando esses impactos.

“O foco do InovaHC é buscar alternativas para criar e aplicar tecnologias inovadoras para contribuir com a sociedade. Paralelamente, a parceria com a Cisco nos coloca em um patamar de vanguarda com o desenvolvimento de soluções pioneiras que vão melhorar a qualidade de vida da população”, afirma Marco Bego, diretor do InovaHC.

Para a Cisco, a parceria com o InovaHC é fundamental para impulsionar a digitalização em um dos setores-chave do país. 

“A Cisco está comprometida com a transformação digital do Brasil há mais de 25 anos e acredita que a modernização da saúde pública é fundamental para um futuro melhor e mais inclusivo para o país”, destaca Rodrigo Uchoa, diretor de digitalização da Cisco do Brasil.

Recentemente, a empresa anunciou um acordo semelhante com o Hospital Alemão Oswaldo Cruz, também de São Paulo, que passou a ter um espaço voltado para a Cisco do Brasil em seu centro de inovação, funcionando como um hub de pesquisa e criação de soluções para o setor de saúde.

No acordo, está prevista a implementação de soluções integradas em telemedicina, unindo tecnologias da Cisco e do hospital para o atendimento remoto à população.

O Complexo HC, ligado à Faculdade de Medicina da USP, iniciou as atividades em 1944 e hoje ocupa uma área total de 600 mil metros quadrados com cerca de 2,4 mil leitos distribuídos entre os seus oito institutos especializados e dois hospitais auxiliares.