EXPERIÊNCIA

Os piores erros de UX

27/10/2020 07:33

O principal deles é assumir que temos a resposta para os problemas dos usuários sem ao menos conversar com eles.

Kris Basque, head de design na Neotix. Foto: divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

Falar em UX (User Experience) está na moda. Mas, antes de acreditar que essa é apenas mais uma tendência de mercado, é preciso entender sua importância para marcas, produtos e, principalmente, para os clientes. O que nos faz consumir um produto é justamente a sensação agradável que ele transmite.

Quando pensamos em um artigo digital, como um site, nosso tempo de permanência online é diretamente proporcional a sua usabilidade e capacidade de entregar fácil e rapidamente o que estamos procurando. Em relação a produtos físicos, não é diferente: tudo é feito para nos agradar desde o primeiro momento – ou, pelo menos, deveria.

É por meio dessa metodologia que definimos regras de usabilidade, que acompanham todo o processo de desenvolvimento de um produto. O UX não acaba na entrega do layout e vai muito além do que os olhos podem ver.

Por exemplo: um servidor superlento ou um sistema com uma performance ruim afeta diretamente a experiência dos usuários. Então, o UX acompanha o processo de desenvolvimento antes e depois do produto ser desenvolvido.

E quando isso não é levado em consideração? – É aí que nos deparamos com usuários frustrados, que se afastam das marcas e contribuem para que elas tenham uma reputação ruim. Trabalho com UX há mais de 20 anos e já me deparei com alguns erros recorrentes na hora de desenvolver um produto:

  • Apaixonar-se pela solução, não pelo problema;
  • Falta de consistência;
  • Falta de atenção a regras de acessibilidade;
  • Escolhas ruins de tipografia;
  • Layouts muito poluídos.

Entretanto, o principal erro é assumir que temos a resposta para os problemas dos usuários sem ao menos conversar com eles, independentemente de o produto ser digital ou não. Nossa intuição e experiência sempre nos ajuda a trilhar parte do caminho, mas é preciso ouvir a dor do usuário antes de pensar em oferecer uma solução.

Como evitá-los? – Busque entender para quem você está criando a solução. Algumas informações importantes são: faixa etária, gênero (se tiver), classe social, hábitos etc. Tudo isso ajudará a construir a persona – ou o consumidor ideal daquela marca. Você é a voz do usuário, portanto, escute o que ele tem a dizer e use o depoimento do usuário para desenhar um produto melhor!

Esse estudo pode ser feito a partir de entrevistas ou conversas diretas com os usuários, testes de usabilidade, Mapa da Empatia, Testes A&B e pesquisas qualitativas e quantitativas. Em outras palavras, converse com os seus usuários: você irá ficar surpreso com a quantidade de coisas que pode descobrir durante esses papos.

Produtos digitais merecem atenção – Para esses, a primeira recomendação é apaixonar-se pela dor do seu cliente, não pelo que você está disposto a oferecer. Tenha clareza na hierarquia de conteúdo do site ou aplicativo, mantenha a consistência e aplique regras de acessibilidade, como facilitar o trabalho de um leitor de tela. 

Escolha bem a tipografia que será utilizada. Adote uma linguagem simples: todos que tiverem contato com o seu produto deverão ser capazes de compreendê-lo. Elimine tudo que não for necessário e deixe somente o essencial: lembre-se, menos é mais! Ninguém gosta de entrar em um site poluído visualmente, tente deixá-lo o mais agradável à vista possível.

Antes de lançar seu produto, faça testes de usabilidade, buscando identificar o que pode ser melhorado ou pode ter passado despercebido pela equipe. E não pense que o projeto terminou só porque foi ao ar: fique sempre atento ao feedback dos usuários, você poderá aprender coisas valiosíssimas!

Por fim, o essencial para qualquer iniciativa focada em UX é se colocar no lugar do usuário ao desenvolver um produto. Nós, designers, precisamos desenvolver um talento para pesquisar e entender mais sobre os usuários. Entender a dor deles é a melhor forma de buscarmos soluções criativas para resolver seus problemas. Assim, criamos uma legião de usuários felizes e satisfeitos e marcas comprometidas a entregar produtos com valor!

*Por Kris Basque, head de design na Neotix.

Veja também

AGILIDADE
Tembici aposta em squads

Até o final de 2021, serão R$ 40 milhões para contratação de profissionais e melhorias no aplicativo.

EXPERIÊNCIA
Não existe estratégia, novo produto ou solução sem UX

A fidelidade do cliente é o resultado para a marca que investiu. 

ECOSSISTEMA
Randon inaugura Conexo

Gigante industrial tem prédio dentro do seu complexo para se aproximar de startups.

FINANCEIRA
Unicred unifica portal de demandas com ServiceNow

Confederação de cooperativas contou com a implementação da Organize Cloud Labs.

ERP
Grupo Atem: S/4 Hana com T-Systems

Grande projeto com tecnologia SAP envolve 34 empresas do grupo, forte em combustíveis.

CONHECIMENTO
Sucesu-RS tem grupo focado em indústria

Novo GN é coordenado por profissional da TI da Paquetá.

NOVO MUNDO
Amazon quer transformar varejo normal em CDs

Companhia estaria em tratativas para comprar lojas da Sears e da JC Penny nos Estados Unidos.

ABERTO
Serviços bancários digitais: uma revolução

Chegada do open banking deve abrir as portas para ainda mais fintechs.

UNFOLLOW
Segurança no Twitter é fraca

Segundo o Bloomberg, terceirizados usavam chamados para bisbilhotar a vida de famosos usuários da plataforma.

TENTATIVA
Ceitec, mais barato aberto que fechado?

Funcionários dizem que fechar custa R$ 300 milhões e que é mais negócio esperar entrar no azul.