Linda e rentável, Fortaleza é um dos focos da estratégia de expansão da IBM. Foto: Flickr.com/ricardor

Na esteira de uma estratégia de reforço regional que já levou a IBM a abrir, desde 2008, unidades em 38 cidades fora do eixo Rio-São Paulo, a companhia anuncia uma nova liderança local para o Ceará, Maranhão e Piauí.

Quem assume é Teresa Cristina Neves de Pinho, que já atua há 19 anos na IBM, tendo passado por Minas Gerais, São Paulo e Fortaleza, onde está há 16 anos.

No novo cargo, ela irá trabalhar com foco em Fortaleza, São Luís e Teresina, tendo como missão aproximar a região do potencial de outros polos de atuação da IBM no Brasil.

“Com esta aproximação, vamos ganhar agilidade para estabelecer a estratégia de expansão regional nesses três estados”, destaca a executiva.

Dados do Conselho Estadual de Desenvolvimento Econômico do Ceará (Cede), indicam que a economia cearense – mensurada a partir do PIB a preços de mercado – cresceu 4,3% em 2011 em relação a 2010 e superou o desempenho da economia brasileira no ano passado, que foi de 2,7%.

O Ceará também tem se destacado como um dos quatro estados brasileiros cujos governos mais investem na modernização da máquina pública por meio da TI – conforme dados do governo local, os investimentos do estado nesta área crescem à taxa anual de 13%.

No Maranhão, o quadro também é promissor, especialmente em São Luís.

Com mais de um milhão de habitantes, a cidade é a décima quarta economia do país, com PIB de R$ 15,3 bilhões, puxado pelas indústrias de transformação de alumínio, alimentícia, turismo e de serviços.

Levantamento da Secretaria do Planejamento, Orçamento e Gestão revela que a economia do estado tem expectativas de crescimento em índices que devem atingir 7,5% em 2012, com a perspectiva de dobrar o valor do PIB estadual nos próximos cinco anos.

Além disso, a carteira de investimentos públicos e privados supera a casa de R$ 100 bilhões para o mesmo período.

Em Teresina, segundo o IBGE, a renda per capita cresceu 59% nos últimos 10 anos, o maior índice registrado dentre as capitais do Nordeste.

A Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo (Semdec) mostra que os principais setores que vêm crescendo na capital são as áreas de comércio e serviços, especialmente as redes de atacado.

Na capital piauiense se destacam também as indústrias têxteis e de confecções, de bebidas, móveis, cerâmica, medicamentos e montadoras de bicicletas.

A cidade é a décima nona economia das capitais brasileiras. O PIB de Teresina representa cerca 40% do PIB do estado, calculado em R$ 8,7 bilhões (dados de 2009).

A investida nos três estados reforça um plano da  IBM que já incluiu, em julho deste ano, a ampliação da estrutura em Natal e São Luís, que passaram a contar com estrutura de atendimento composta por funcionários IBM dedicados e/ou parceiros de negócios.

Nova líder para a região, Teresa é graduada em Engenharia e Direito, a nova diretora da IBM para a região é mestre em informática pela Universidade de Fortaleza (Unifor) e especialista em Gestão Empresarial pela FGV, além de doutoranda em Direito pela Universidade Museo Social Argentino.

EXPANSÃO REGIONAL

A estratégia de fortalecimento regional da IBM no Brasil é um reflexo do plano mundial da companhia, que no país tem seu Global Delivery Center, em Hortolândia, e inaugurou em 2011 o primeiro laboratório de pesquisa da companhia no hemisfério Sul.

Globalmente, a estratégia tem foco também na Rússia, Índia e China, além de partes da Ásia, África e Oriente Médio, América Latina, Europa Central e Leste.

Esses países fazem parte da unidade de Growth Markets da IBM, que em 2011 representou 22% da renda da multinacional.

A expectativa é que o rendimento corresponda à fatia de 30% da receita da IBM até 2015.