Companhia francesa atende pet shops, clínicas veterinárias e criadores de gatos e cães. Foto: divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

A Royal Canin, indústria de alimentos para gatos e cães, adotou a solução da RoutEasy, especializada em roteirização de logística com base em inteligência artificial, para otimizar seus processos de distribuição.

Com fábrica no interior de São Paulo e um hub, que é o seu maior operador de distribuição, além de dois centros de distribuição posicionados em Cajamar, São Paulo, e Duque de Caxias, Rio de Janeiro, a empresa percebeu que o planejamento de rotas tornou-se fundamental.

“Do ponto de vista logístico, nosso maior desafio é o atendimento. Como somos uma indústria de alimentos super premium, queremos oferecer ao nosso cliente um atendimento à altura”, afirma Sandro Roelli, gerente de supply chain da Royal Canin.

Após as vendas realizadas em pet shops, clínicas veterinárias e criadores de gatos e cães, o processo de roteirização começa com a separação das cargas a serem entregues no próximo dia e com o embarque nos caminhões que realizarão as entregas.

Segundo a empresa, o sistema da RoutEasy proporciona diariamente a visibilidade das rotas que cada caminhão vai percorrer, trazendo agilidade nas respostas em caso de contratempos. 

Quando um cliente tinha um problema no passado, ele ligava para a empresa. Essa, por sua vez, entrava em contato com a transportadora para tentar resolver ou abria uma reclamação. A resposta demorava, então, entre 24h e 72h. 

Com a mudança, a Royal Canin passou a ter um painel de monitoramento que responde ao cliente on-line, em tempo real.

“Conseguimos aprimorar o nível do nosso atendimento. Nosso score de satisfação de cliente atinge 4,9 numa escala de 5. Ao focar no atendimento e a resolução dos problemas rapidamente, por meio da ferramenta da RoutEasy, ajudamos não apenas o setor de logística, como toda área de vendas”, avalia Sandro Roelli, gerente de supply chain da Royal Canin.

A ferramenta é baseada em nuvem, se adaptando ao modelo da operação, e pode ser integrada a outros sistemas para auxiliar a logística em todas as etapas do planejamento até a finalização do serviço no cliente.

Hoje todas as operações diretas da Royal Canin utilizam a plataforma e, para o futuro, a ideia é desenvolver uma tela na qual os consultores consigam monitorar os pedidos em um tablet. 

“O projeto na Royal Canin nos mostra que um trabalho integrado e focado na solução e melhoria dos serviços culmina na satisfação dos clientes. O empoderamento que a visibilidade traz impacta diretamente na percepção da experiência final do cliente com relação ao serviço de transporte oferecido”, destaca Caio Reina, CEO da RoutEasy.

A RoutEasy foi criada em 2015 por Reina, que era gerente de supply chain da EY e desenvolveu o algoritmo da solução durante o mestrado na Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli USP).

Em 2019, a startup paulistana começou a operar em grandes players e aumentou o faturamento em nove vezes. Para este ano, a previsão é dobrar o montante.

Fundada em 1968, a francesa Royal Canin atua no Brasil há 30 anos. Seu portfólio conta com mais de 150 produtos, incluindo itens específicos para raças, portes, idades, estilos de vida, necessidades específicas, cuidados especiais e auxiliares no tratamento de doenças.