Brasília é a que está mais adiantada. Foto: divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

A Telebras divulgou no final da semana passada que 74% das obras de infraestrutura de comunicação nas seis cidades que sediarão a Copa das Confederações já foram executadas.

Segundo relatou o presidente da entidade, Caio Bonilha, o cronograma está rigorosamente em dia, e a entrega das obras em Brasília, Salvador, Recife, Belo Horizonte, Rio de Janeiro e Fortaleza será cumprida até março, conforme prazo dado pela Anatel.

Segundo a estatal, Brasília é a cidade mais avançada na área, com 87% das obras já encaminhadas, seguida de Salvador, com 79%. Recife é terceira cidade melhor colocada, com 77%, seguida de Belo Horizonte, com 70%. Rio de Janeiro está 67% das obras prontas e Fortaleza fecha a lista com 66%.

De acordo com Bonilha, a conclusão das obras agora dependem da entrega das obras civis - no caso, a finalização dos estádios e outras estruturas que serão utilizada no evento, que será em junho.

"As obras de telecomunicações nas seis cidades-sede estão em estágio final, dependendo da conclusão de trechos de fibra óptica e Pontos de Presença (POPs) da rede metropolitana", afirma o presidente.

Bonilha, no entanto, não tocou no assunto da infraestrutura de 4G, um dos assuntos mais badalados para a Copa das Confederações.

Segundo determinação da Anatel, as operadoras devem disponibilizar redes 4G nas cidades-sede da Copa das Confederações até março.

Embora a instalação destas estruturas seja totalmente das operadoras, falta pouco menos de 60 dias para estourar o prazo dado pela Anatel. Por enquanto, somente Brasília conta com uma operação de 4G, implantada pela Claro, mas que somente funciona na região da Esplanada dos Ministérios.

IMAGINA NA COPA

Com relação às demais seis cidades-sede para a Copa do Mundo – São Paulo, Cuiabá, Natal, Manaus, Curitiba e Porto Alegre – o percentual de execução é de 20%, atualmente em fase de licenciamento e projeto executivo.

“Estamos dentro do cronograma previsto e planejamos entregar as obras das cidades até dezembro deste ano. Para isso, contamos com a colaboração das diversas entidades que vão licenciar as obras”, disse Bonilha.

Ao todo, serão disponibilizados mais de 1,2 mil km de fibra óptica nas regiões metropolitana das 12 cidades-sede, construídos 780 km de fibra óptica, com a utilização inclusive de redes de fibras já implantadas e ativação de mais de 47 POPs.

A previsão, até o momento, é que o governo federal desembolse R$ 380 milhões. Do total, R$ 200 milhões foram repassados ao orçamento de 12 redes metropolitanas.

Os outros R$ 180 milhões, a Anatel destinará para reforço, treinamento, equipamentos, rede, entre outros.

Depois de um aparente impasse entre o governo e a Fifa, que sugeriu que a conta pelos investimentos em telecomunicação na Copa seria toda brasileira, parece que um lugar comum foi encontrado.

O Ministério das Comunicações e federação internacional assinaram um acordo que estabelece as obrigações na área de telecomunicações para a Copa do Mundo de 2014.

Segundo o documento assinado, o governo federal arcará com os gastos em toda a infraestrutura fixa, que ficará como legado, enquanto a Fifa bancará o que será usado apenas durante o Mundial.