Dextra incrementa oferta de cursos para suprir mão de obra. Foto: Flickr.com/57555728@N04

A Dextra acaba de reestruturar sua unidade de treinamentos de TI, a Dextraining.

Luis Dosso, sócio-diretor da Dextra acumulará o cargo de diretor e principal executivo da Dextraining, que deixa de ser um braço de negócios para ser uma divisão independente, com oferta de mais de 40 cursos em Java, Oracle, Scrum, Jboss, PostgreSQL, Android e outros.

Dosso explica que a Dextraining tem equipe de 30 instrutores e os cursos podem ser realizados de forma presencial, na sede localizada em Campinas, in company ou por meio de roadshows em cidades do Brasil.

"O mercado de treinamento em TI é promissor e estratégico em função da demanda crescente por profissionais especializados e ao apagão de mão de obra constatado nesse setor”, afirma o diretor.

Cálculos do ministério de Ciência e Tecnologia divulgados em 2012 indicam que a  carência por profissionais de TIC chegará a 3 milhões no Brasil no curto prazo.

Outro levantamento, este da Softex, aponta que se a escassez de mão de obra no setor de TI persistir como atualmente, o Brasil pode deixar de arrecadar R$ 115 bilhões em receitas até 2020.

De acordo com a entidade, para evitar o colapso do setor é necessário dobrar a quantidade atual de profissionais na área até 2020, tanto de nível superior como de técnicos.

Atualmente, existem um milhão de profissionais contratados formalmente (incluindo assalariados, sócios e cooperados), desconsiderando o mercado informal, no país, segundo a Softex.

Para a Dextra, capacitar é expertise. A empresa atua com treinamento desde 2003 e já qualificou mais de dez mil profissionais em todo o Brasil.