Dafiti com novo aporte. Foto: divulgação.

A Dafiti, loja virtual de artigos de vestuário, recebeu um investimento de aproximadamente R$ 50 milhões do International Finance Corporation (IFC), divisão do Banco Mundial que financia iniciativas do setor privado.

Segundo informação do Valor, o aporte será destinado pela empresa na sua expansão nos cinco países da América Latina onde a Dafiti tem atuação: Argentina, México, Colômbia, Chile e Brasil, país onde a empresa concentra 50% de suas vendas.

Para a liberação do crédito, o IFC fez uma auditoria de cerca de três meses na varejista, avaliando parâmetros de sustentabilidade, governança e finanças.

Para Philipp Povel, um dos quatro sócios-fundadores da Dafiti, o novo investimento é diferente de um simples aporte de recursos financeiros. Além do dinheiro, ele também serve como um selo de qualidade.

Desde a sua fundação, em 2011, a Dafiti já teve aportes de investidores como Ontario Teachers Pension Plan (OTPP), que aportou R$ 160 milhões na empresa em setembro.

Além do fundo canadense, empresas como a AB Kinnevik, o JP Morgan e o Quadrant Capital Advisors tem participação na companhia, que foi fundada pela incubadora de startups alemã Rocket Internet. No total, a empresa acumulou em seus três anos de existência cerca de R$ 660 milhões em aportes.

A Dafiti não divulga informações de faturamento anual, mas segundo estimativas de mercado, fica na faixa de R$ 500 milhões a R$ 900 milhões.

Mesmo assim, como na maioria de empresas de e-commerce, a Dafiti ainda conta com operação deficitária, por isso a necessidade de investimentos.

No entanto, o mercado de vendas eletrônicas do Brasil tem um grande potencial para os investidores. Segundo o e-bit, o segmento terá um crescimento de 25% no faturamento este ano, chegando aos R$ 28,5 bilhões.

Com 2,2 mil funcionários atualmente, a Dafiti oferece produtos como calçados, roupas e artigos para o lar. Para melhorar sua estrutura, o e-commerce investiu R$ 25 milhões em logística e tecnologia da informação, incluindo um novo centro de distribuição no Brasil em substituição ao antigo.